O HOMEM NA LUA

julho 21, 2009

No auge da Guerra Fria, União Soviética e Estados Unidos comparavam forças sobre o controle ideológico das nações do planeta. A produção em série de armas nucleares era uma prioridade, medindo-se o potencial de uma nação pela quantidade de ogivas nucleares que tinha em seu poder. No fim dos anos 1950, o espaço tornou-se alvo da demonstração desse poder. Iniciava-se, em 1957, a corrida espacial com o lançamento do satélite artificial soviético Sputnik. Desde então, o governo norte-americano tomou como objetivo levar o primeiro homem a pousar em solo lunar, antecipando-se aos soviéticos.
No dia 20 de julho de 1969, a Apollo 11 cumpria a sua missão. Neil Armstrong, astronauta norte-americano, era o primeiro homem a pisar no satélite da Terra. Numa eloqüente e solene frase, ele sintetizou os seus passos no solo da Lua: “Foi um pequeno passo para o homem, mas um salto gigantesco para a Humanidade”.
A viagem à Lua, um velho sonho dos homens desde a mais remota antiguidade, representou um ápice na aventura humana no século XX. Depois da conquista dos pólos e das grandes altitudes do planeta, o homem estendia a sua saga pelo mítico satélite da Terra. Politicamente, era uma grande vitória da ideologia do ocidente contra a do oriente, dos capitalistas contra os comunistas, dos americanos contra os soviéticos. No momento em que os meios utilizados para manter tal ideologia eram contestados, com grandes manifestações nos Estados Unidos e no mundo contra a Guerra do Vietnã, chegar à Lua serviu para que o governo americano distraísse a atenção da nação, proporcionando-lhe um grande espetáculo, e, ao mesmo tempo, mantendo a supremacia tecnológica do poder, amenizando as críticas e contestações. Cientificamente, a ida do homem quase nada acrescentou à humanidade, sendo uma desolação absoluta, fazendo com que o projeto fosse encerrado, sem jamais ser retomado.
Enquanto Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin fincavam a bandeira norte-americana em solo lunar, os terráqueos assistiam extasiados à grande aventura, transmitida pela televisão para todo o planeta. A emoção de ver o homem pisar no solo da Lua concretizava todas as lendas mitológicas, atingindo tanto o ocidente, como os países da Cortina de Ferro. Quatro décadas depois da conquista, a façanha continua a criar polêmicas, com correntes a declarar que tudo não passou de uma farsa. Mesmo assim, a chegada da missão Apollo 11 à Lua continua a ser a maior aventura do homem sobre a conquista das fronteiras do universo, sendo o lugar mais distante que ele já alcançou no tempo e no espaço.

O Sputnik é Lançado no Espaço

A beleza da Lua pairando no horizonte, a complexidade e influência do satélite em diversos fenômenos da Terra, sempre despertou a imaginação do homem. Poetas, escritores, cientistas, todos sonharam um dia pisar em solo lunar, uma aventura alimentada bem antes das grandes civilizações escreverem a sua história.
Oficialmente, a aventura que culminaria com o primeiro homem a passear pelo satélite da Terra, em 1969, iniciou-se em 1957. Em 4 de outubro daquele ano, cientistas e engenheiros soviéticos lançaram do Cosmódromo de Baikonur, em Tyuratam, na União Soviética (atual Cazaquistão), o satélite artificial Sputnik, que consistia numa bola de 84 quilos. Pela primeira vez um satélite artificial foi posto na órbita da Terra. Estava iniciado o período que passou para a história como a era espacial, demarcando a corrida ao céu.
Nikita Khrustchov, então líder da União Soviética, sob a colaboração do cientista Serguei Korolev, pôs o seu país à frente dos Estados Unidos na questão espacial. Para comprovar o êxito do Sputnik, era preciso esperar noventa minutos, tempo que o satélite levava para completar uma órbita em torno da Terra. Findos os noventa minutos, eram captados pelos cientistas sons emitidos por um transmissor do Sputnik, confirmando a missão. Ainda em 1957, em 3 de novembro, o Sputnik 2 levava ao espaço o primeiro ser vivo, a cadela Laika, da raça Kudriavka. Os soviéticos tornaram-se os donos do espaço, enviando várias missões não tripuladas à Lua.

Yuri Gagarin, o Primeiro Astronauta no Espaço

O sucesso do satélite russo causou grande repercussão no mundo. Nos Estados Unidos, o governo do presidente Eisenhower foi criticado por deixar que os soviéticos saíssem à frente. Quatro meses depois do lançamento do Sputnik, em 31 de janeiro de 1958, os americanos responderam com o Explorer I, primeiro satélite artificial daquele país. Para minimizar a época dourada espacial soviética, os Estados Unidos, sempre a reboque dos seus opositores comunistas, decidiram criar uma agência espacial de índole civil, assim, em 29 de julho de 1958, surgia a National Aeronautics and Space Administration, a NASA. A instituição passou a centralizar todas as atividades espaciais que não fossem de caráter estritamente militar.
Ainda ofuscados pela União Soviética, os Estados Unidos criou o programa Mercury, que tinha como principais objetivos pôr em órbita um ser humano, estudar os seguimentos de controle de uma nave espacial e adquirir conhecimentos sobre a ausência de gravidade no corpo humano. Em abril de 1959, já se tinha selecionado os primeiros sete astronautas do programa Mercury.
A conquista espacial foi um dos temas que centralizou as eleições presidenciais norte-americanas, em 1960, que deram vitória a John F. Kennedy sobre Richard Nixon.
Em 12 de abril de 1961, mais uma vez os soviéticos saíram à frente dos seus rivais norte-americanos, pondo em órbita, pela primeira vez, um ser humano, o astronauta Yuri Gagarin, que se iria tornar um herói em todo o planeta, visitando vários países, levando consigo a propaganda do regime do seu país.
A resposta norte-americana veio em 5 de maio de 1961, com o vôo do projeto Mercury, que enviou o primeiro astronauta estadunidense, Alan B. Shepard, ao espaço. Shepard não conseguiu a projeção internacional obtida por Yuri Gagarin, muito menos ofuscar o seu carisma. Os soviéticos continuavam como os líderes absolutos da corrida ao espaço.
John Kennedy, já como presidente dos Estados Unidos, não se deixou ir à deriva do sucesso espacial soviético, em 25 de maio de 1961, fez o célebre discurso na Universidade Rice, que conclamava aos americanos o desafio de enviar homens à Lua, trazendo-os de volta a salvo. O feito, segundo o discurso, teria que ser alcançado antes que a década de 1960 terminasse. Para viabilizar o projeto, John F. Kennedy pediu ao Congresso as verbas necessárias àquele, que se tornara o maior desafio da Guerra Fria, vencer a corrida espacial. Assassinado em novembro de 1963, o presidente Kennedy não assistiria à chegada do homem à Lua.

Os Projetos Gemini e Apollo

O projeto Mercury consistia em uma nave espacial com capacidade de levar apenas um passageiro a bordo. Com a evolução tecnológica dos equipamentos e das naves, também os projetos deveriam ser mais sofisticados. Para suprir as deficiências antigas, foi criado o programa Gemini, que pretendia testar as técnicas desenvolvidas para a realização de uma viagem tripulada à Lua.
O programa Gemini, criado em março de 1965, realizou com êxito, dez missões tripuladas ao espaço. Suas naves comportavam dois astronautas por missão. O Gemini foi encerrado em 1966, conseguindo que os Estados Unidos alcançasse e ultrapasse a União Soviética na corrida ao espaço.
O sucessor do Gemini foi o programa Apollo, o mais complexo e desenvolvido de todos eles, que tinha como objetivo levar os primeiros seres humanos à Lua. Suas naves foram desenvolvidas para que pudessem transportar três passageiros. Três metas foram traçadas pela NASA para que se concretizasse o objetivo de chegar ao solo lunar: o número de passageiros, a forma da nave e o foguete que a iria propulsar ao espaço.
O projeto teve a genialidade do alemão Wernher von Braun, engenheiro famoso da época do regime nazista, que deserdou, fugindo do seu país, naturalizando-se norte-americano. Von Braun criou o foguete Saturno V, o maior até então, com potência suficiente para lançar uma nave ao espaço, levando três astronautas e, a partir daí, levá-la à Lua. Para a alunagem, Von Braun criou o módulo lunar.
A primeira nave do projeto, a Apollo 1, teve o espectro da tragédia a desenhar a sua história. Em 27 de janeiro de 1967, durante um treino em terra, um curto-circuito incendiou a cabine da Apollo 1, matando os astronautas Gus Grissom, Ed White e Roger Chaffee. A partir de então, os engenheiros da NASA modificaram por completo a cabine do módulo de comando.
A tragédia adiou o projeto, que só foi ter a sua primeira missão tripulada com a Apollo 7, lançando três tripulantes em órbita, Walter Schirra, Don Eisele e Walter Cunningham. Era o primeiro teste para que o homem pudesse chegar à Lua.
Em 21 de dezembro de 1968, foi lançada a Apollo 8, levando os astronautas Frank Borman, Jim Lovell e Bill Anders a bordo. A missão Apollo 8 foi a primeira a levar o homem à órbita da Lua. A nave apresentou graves defeitos, passou por uma tempestade solar e enfrentou um choque com um meteorito, o que impossibilitou que os tripulantes pousassem na Lua. Os astronautas da Apollo 8 foram os primeiros a contemplar a Terra a partira da Lua. Esta imagem, fotografada pelos tripulantes, correu o planeta.

A Apollo 11

Duas outras missões, a Apollo 9 e a Apollo 10, apesar de terem êxito, não chegaram ao solo lunar. A conquista só seria alcançada com a Apollo 11. Em 16 de julho de 1969, mais de um milhão de pessoas concentrou-se em torno do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, para poder ver o lançamento daquela que estava programada para, finalmente, pousar na Lua, a Apollo 11. Às 9h32 da costa leste dos Estados Unidos, a nave foi lançada ao espaço, levando a bordo os astronautas Neil Armstrong, Edwin E. Aldrin e Michael Collins. Após várias voltas em torno da Terra, a nave alcançou a órbita do planeta, sendo os motores acionados para iniciar a viagem de três dias. O mundo acompanhava o espetáculo em todas as televisões do mundo.
No dia 20 de julho, às 16h05, o módulo de comando Columbia, onde estavam os três astronautas, separou-se do módulo lunar Eagle, levando Neil Armstrong e Edwin Aldrin a bordo. Michael Collins permaneceria no Columbia. Às 16h17 daquele dia histórico, Armstrong após manobrar o módulo, concretizava a alunagem. No módulo, restava combustível para mais vinte segundos. Armstrong entrava em contacto com a Terra, avisando que pousara na Lua.

O Homem Pisa na Lua

Antes da descida para explorar o solo lunar, os astronautas deveriam comer e descansar algumas horas. Teriam que estar em forma para que pudessem enfrentar um meio hostil, sem água, atmosfera ou vento, que causavam drásticas oscilações de temperatura, além de uma gravidade inferior a um sexto da terráquea. Após o descanso, os astronautas vestiram os seus trajes espaciais, estavam prontos para enfrentar o exterior. Às 22h56 do dia 20 de Julho, Neil Armstrong põe o pé na superfície lunar. É o primeiro homem a fazê-lo. Sua frase ecoa pelo espaço:
Este é um pequeno passo para um homem, mas um salto gigantesco para a humanidade.
A frase, segundo o astronauta, foi espontânea, mas a sua solenidade faz com que se desacredite numa suposta improvisação. Dezoito minutos depois, “Buzz” Aldrin juntou-se ao companheiro. Os dois caminharam com grande dificuldade pela superfície da Lua por duas horas e meia. No decorrer do tempo, promoveram o hasteamento da bandeira dos Estados Unidos, fincando-a em solo lunar, afirmando a supremacia norte-americana na Guerra Fria, fazendo com que as outras nações se prostrassem diante da sua ideologia. Além da bandeira, os astronautas descerraram uma placa comemorativa que trazia um mapa dos hemisférios da Terra, contendo gravada a legenda:
Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua. Julho de 1969 d.C. Viemos em paz em nome de toda a humanidade.
Paradoxalmente, aquela aventura dava-se no auge da Guerra Fria, que ao contrário do que afirmava a placa, promovia guerras sanguinárias na Terra em nome das ideologias vigentes. Armstrong e Aldrin recolheram amostras do solo lunar, instalaram um instrumento para medir as oscilações do solo, uma folha de alumínio em forma de bandeira vertical para que se captasse vento solar e um aparelho para que se pudesse medir com precisão a distância entre a Lua e a Terra. Cumprida a missão, os astronautas regressaram ao módulo Eagle, ali permanecendo por várias horas. Armstrong e Aldrin retornam à órbita lunar, onde Michael Collins os aguarda no módulo Columbia. Os dois módulos foram acoplados. No módulo de comando, os três astronautas juntaram-se novamente, iniciando a viagem de regresso à Terra. No dia 24 de julho, aterrisavam, às 12h50, em um ponto do oceano Pacífico. Estava cumprida a missão que levara o homem à Lua.
O projeto Apollo enviaria ao espaço mais seis missões, cinco delas alunaram, tendo a Apollo 13 falhado em sua missão. A Apollo 17, lançada em dezembro de 1972, foi a última missão em que o homem pisou no solo lunar. A partir de então, as viagens à Lua ficaram suspensas, e só voltarão a ser retomadas caso haja interesse econômico e científico. O objetivo principal tinha sido atingido, os Estados Unidos venceram a corrida espacial, mostrando-se a nação mais potente nos meandros da Guerra Fria. A ciência ficaria para depois!
Anos mais tarde, teorias da conspiração tentam desacreditar que a Apollo 11 tenha pousado no solo lunar, fazendo com que algumas milhares de pessoas duvidem que um dia o homem pisou na Lua. Teorias à parte, a chegada do homem à Lua foi um dos maiores espetáculos da Terra, ainda hoje suscitando paixões e arroubos. A Lua, apesar de desvendada, continua a exercer um misterioso fascínio sobre a humanidade.


A ORIGEM DO NATAL

fevereiro 26, 2009

O Natal é juntamente com a Páscoa, a festa mais importante do cristianismo. As duas datas celebram, respectivamente o nascimento e a morte de Cristo. Quanto à morte de Cristo, não paira nenhuma dúvida, visto que foi julgado e crucificado nas comemorações da Páscoa judaica por volta do ano 27 ou 33 d.C.. O mesmo não acontece com a data do nascimento, pois não há nenhuma referência ao dia nos quatro evangelhos que registraram a vida de Cristo.
Sem registro de uma data de nascimento, o aniversário de Cristo, comemorada pela maioria das igrejas cristãs no dia 25 de dezembro, é uma usurpação da data de nascimento de Mitra, o deus touro persa, deus solar, cultuado na Roma antiga como “Sol Vencedor”.
As comemorações das Saturnálias (festas em honra ao deus romano Saturno), que culminavam com a comemoração do nascimento de Mitra, após o solstício de inverno no hemisfério norte, eram as festas pagãs mais tradicionais de Roma. Mesmo depois da cristianização do poderoso império, as tradições pagãs não se renderam à nova religião, o que levou a igreja primitiva cristã a transformar as festas nas comemorações do nascimento de Jesus Cristo, estabelecendo assim, o dia 25 de dezembro como a data natalícia oficial.
Originário das festas pagãs, o Natal, poderosa e importante festa do mundo cristão, nada mais é do que a adaptação da festa de um deus proscrito e esquecido, o misterioso deus solar Mitra, senhor do sol em um mundo incondicionalmente pagão.

Cristo Teria Nascido na Primavera ou no Verão

Para explicar a data de nascimento de Cristo, é preciso que se procure pistas no nos evangelhos cristãos. Dos quatro evangelhos, apenas o de Lucas faz uma breve referência sobre a possível época do ano que Cristo nasceu:

“E ela deu à luz o seu filho, o primogênito, e o enfaixou e deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles no alojamento.
Havia também no mesmo país pastores vivendo ao ar livre e mantendo de noite vigílias sobre os seus rebanhos.
(Lucas 2:7-9)

Considerando este registro, anula-se totalmente a possibilidade do nascimento ter acontecido em dezembro. Se os pastores ainda estavam nos campos, cuidando dos rebanhos, é sinal de que a data era na primavera ou no verão. O mês judaico que corresponde a novembro e a dezembro é o de Kislev, sendo um mês frio e chuvoso, o que impossibilita que se encontre pastores nos campos, à noite e ao ar livre. O mês seguinte Tevet (correspondente aos meses de dezembro e de janeiro do calendário Gregoriano), é quando ocorrem as temperaturas mais frias do ano, com nevadas ocasionais, o que impossibilitava aos antigos ficar nos campos ao ar livre, principalmente no período noturno.
Diante de estudos mais específicos, mediante ao relato de Lucas, aos fatos de que evidenciavam a presença dos pastores ainda nos campos durante a noite, aos arredores do local onde Maria dera à luz, conclui-se que, 25 de dezembro, pleno inverno, não pode ser a data do nascimento de Cristo, que se teria dado na primavera ou no verão. Considerando-se que Cristo viveu 33 anos e meio, morrendo entre 22 de março e 25 de abril, esta data torna-se definitivamente impossível de ser a do seu nascimento.

Origem das Festas de Dezembro na Roma Antiga

A história do Natal começa sete mil anos antes do nascimento de Cristo, sendo tão antiga quanto às próprias civilizações. A festa tinha como motivo a celebração do solstício de inverno no hemisfério norte. No dia do solstício, tem-se a noite mais longa de todo o ano, a partir dessa madrugada de dezembro, o sol fica cada vez mais tempo no céu, até o auge do verão. Para as civilizações antigas, o solstício de inverno era o momento do renascimento do sol, marcando a vitória gradual da luz sobre as trevas. Os dias mais longos significavam a volta das farturas aos campos, culminando com as boas colheitas.
Na Mesopotâmia, as comemorações da volta dos dias longos a partir do solstício de inverno, eram celebradas durante doze dias. O mesmo solstício relembrava no Egito antigo, a passagem do deus Osíris para o mundo dos mortos. Nas ilhas Britânicas, as festas do solstício aconteciam em volta do monumento de Stonehenge, que marcava a trajetória do sol ao longo do ano. Na Grécia o solstício marcava o culto a Dioniso, deus do vinho e da embriaguez. Na Pérsia o solstício marcava o nascimento de Mitra, deus sol e do renascimento, representado sempre ao lado de um touro.
No século IV a.C., o culto ao deus Mitra chega à Europa. Muitos séculos depois, os soldados romanos viraram ardorosos adoradores do deus, levando a divindade para Roma, estendendo a sua veneração a todo o império. Os romanos festejavam a data de nascimento de Mitra no dia 25 de dezembro, data do solstício de inverno no antigo calendário Romano (no calendário atual a data que se dá o solstício é no dia 20 ou 21, conforme o ano).
Com o tempo, Mitra tornou-se um dos deuses mais venerado de Roma. Na data do seu nascimento, 25 de dezembro, os romanos comemoravam o nascimento do menino Mitra, o invicto, deus que trazia o alvorecer de um novo sol. Na data os sacerdotes faziam sacrifícios ao deus, a população entrava em festa, as famílias trocavam presentes dias antes, grandes comilanças e orgias aconteciam durante as comemorações do nascimento de Mitra. O culto ao deus que trazia a luz ao mundo é o que dá origem ao Natal cristão.
Outra grande festa pagã realizada na Roma antiga em dezembro, era a Saturnália, que homenageava ao deus Saturno, tendo a duração de uma semana. Tornando-se a festa mais sagrada da Roma antiga, Mitra ganharia a celebração exclusiva do Festival do Sol Invicto, fechando oficialmente a Saturnália.

A Cristianização das Festas do Solstício

Quando Constantino converteu o império romano ao cristianismo, não conseguiu acabar com as tradições pagãs, principalmente as festas em homenagem a Mitra, tão populares e entranhadas nas tradições dos romanos. Com a ausência de uma data específica que apontasse o nascimento de Cristo, o dia 25 de dezembro foi adotado para que coincidisse com as festividades do nascimento do deus sol invicto. Assim, a igreja cristianizou a mais importante das festividades pagãs, transformando-a em um ícone do mundo cristão.
Registros do almanaque romano apontam o Natal cristão celebrado em Roma já no ano de 336 d.C.. Como o Império Romano era imenso, na sua parte oriental, comemorava-se em 7 de janeiro o nascimento de Cristo, ocasião tida como a do seu batismo. Já no século IV, as igrejas ocidentais passaram a adotar oficialmente o dia 25 de dezembro para o Natal e o dia 6 de janeiro para a Epifania (manifestação), comemorando-se nesse dia a visita dos magos. Usurpava-se, assim, a data do nascimento do deus persa Mitra, transformando-a na festa mais importante do mundo cristão, ao lado da Páscoa.


OS DIAS DA SEMANA

fevereiro 25, 2009

Perde-se nos anos a origem da divisão do tempo em semanas. Com precisão, sabe-se que os povos antigos inspiraram-se na duração das fases lunares para demarcar o período semanal de sete dias (“septmana” – semana).
A origem do nome de cada dia da semana deve-se aos deuses ou aos astros das religiões precedentes ao cristianismo. Com exceção da língua portuguesa, que aboliu os nomes primitivos dos dias da semana, todos os outros países cristãos conservam a nomenclatura pagã, onde cada dia era dedicado a um astro ou a um deus da mitologia local de cada cultura.
Na língua portuguesa, os nomes dos dias da semana seguem a liturgia católica desde que Martinho de Braga tomou a iniciativa de abolir os nomes pagãos, no século VI, denominando-os na semana da Páscoa de dias santos, que não se deveria trabalhar, assim, durante àquela semana, acrescentar-se-ia a palavra “feriae“, originando-se os nomes litúrgicos que se estenderiam não só na semana santa, mas durante todo o ano.
Mesmo diante da cristianização do ocidente, é pela nomenclatura pagã que cada dia da semana é chamado pela maioria dos povos, não importando a língua. Deuses ou astros, os dias, ainda hoje, representam o marco do tempo pelo homem, o seu encontro com um calendário imaginário que o situa na história, revelando-lhe as origens, as religiões primitivas diretamente ligadas ao céu dos astros.

Os Dias a Partir dos Astros

Demarcada pelas fases da Lua, a origem dos dias da semana estava diretamente ligada aos fenômenos astronômicos e climáticos, além dos conceitos religiosos de cada povo. Na concepção judaica, Deus criara todas as coisas em seis dias, no sétimo descansara, portanto o homem como imagem do criador, também deveria contar os dias em sete.
É na época da expansão do Império Romano que a definição dos dias da semana encontram-se com diversas culturas. Na antiguidade os planetas conhecidos, por ordem decrescente da distância da Terra eram: Saturno, Júpiter, Marte, Vênus e Mercúrio, que formavam cinco esferas, acrescidas a elas vinham mais duas esferas: uma que continha o Sol e outra, a Lua. Tendo como referência os sete astros, iniciando a contagem pela Lua (sempre em ordem decrescente) e pondo o Sol ao centro do sistema, deparar-nos-emos com esta ordem astrológica: Saturno, Júpiter, Marte, Sol, Vênus, Mercúrio e Lua.
Além das sete esferas formadas pelos astros citados acima, havia uma oitava, a das estrelas. No centro dos sete astros e das estrelas encontrava-se a Terra, com os seus quatro elementos: terra, ar, água e fogo. Quatro são os ventos, quatro são as divisões da Terra, quatro são os elementos. Assim, o quadrado era o símbolo da perfeição, sendo sempre igual de qualquer lado que é visto. A partir da perfeição do quadrado simbólico, voltando à ordem astrológica descrita acima, conta-se até quatro, a partir de Saturno (incluindo-o na contagem), até chegar ao Sol e temos o primeiro dia (Sunday); a partir do Sol (incluindo-o), conta-se até quatro e chega-se à Lua (Monday, Lunes, Lundi, Lunedi); seguindo a contagem de quatro a partir da Lua, chega-se a Marte (Mardi, Martes, Martedi); conta-se quatro a partir de Marte e chega-se a Mercúrio (Miércoles, Mercoledi, Mercredi); a partir de Mercúrio conta-se quatro e chegamos a Júpiter (Jeudi, Jueves, Giovedi); conta-se quatro a partir de Júpiter e chega-se a Vênus (Vendredi, Viernes, Venerdi); e, finalmente, conta-se quatro a partir de Vênus e chegamos a Saturno (Saturday).
Uma vez feita a identificação, temos a origem dos nomes dos dias da semana, ou seja, Domingo é o dia do Sol, Segunda-Feira o da Lua, Terça-Feira o de Marte, Quarta-Feira o de Mercúrio, Quinta-Feira o de Júpiter, Sexta-Feira o de Vênus e, Sábado, o de Saturno.
Com a cristianização, como já foi dito, só Portugal aboliu à nomenclatura pagã. Apenas dois dias foram abolidos desta nomenclatura pelos outros países de origem de língua latina (Espanha, França e Itália), o Sábado e o Domingo. O Sábado, de Sabbatum, é um nome de origem do hebreu Shabbat, o dia sagrado para o povo judeu, considerado o dia em que Deus descansou da sua obra grandiosa. O dia de Saturno foi substituído pelo Shabbat hebreu (Sábado, Samedi e Sabato nos restantes países latinos). O Domingo, instituído pelo imperador Flavio Constantino após a sua conversão ao cristianismo, deixou de ser o dia do Sol em todas as línguas de origem latina, sendo denominado Dominica Dies, que evoluiu para Dominus Dei (Dia do Senhor), evoluindo para Domingo, Dimanche e Domenica.

A Concepção dos Dias a Partir do Concílio de Nicéia

Com a conversão de Constantino (280-337 d.C.) ao cristianismo, Roma passa a repudiar o paganismo milenar disseminado pelo seu império. Esta conversão aconteceu na época do Papa Silvestre I. É a partir daí que são organizados os registros de datas como chegaram aos dias atuais.
Em 325 d.C., Constantino convocou o Concílio de Nicéia, à revelia do Papa Silvestre I, que dele não participou. A partir de então foram definidas inclusive as datas do dia de Natal e da Páscoa, esta última deixando definitivamente de ser associada à data comemorativa dos judeus. Constantino mudou o nome litúrgico do antigo dia do Sol, agora Prima Feria, para Domenica Dies, que evoluiria para Dominus Dei, dando origem ao nome Domingo, em português. Desde então, o Domingo passou a ser o primeiro dia da semana do calendário cristão, tornando-se o dia de reunião de fé e de mercado, até então compartilhadas no sábado entre judeus e cristãos.
Era interesse tanto de Constantino, quanto de Silvestre I, que todos os povos abolissem a nomenclatura pagã relativa aos dias da semana. Na época a Páscoa era comemorada por toda a semana, dando origem a sete feriados consecutivos. Durante a Páscoa, os dias eram chamados de “feriae” no latim (traduzido para “feira” no português), a semana adotava a nomenclatura: Prima-Feira, Segunda-Feira, Terça-Feira, Quarta-Feira, Quinta-Feira, Sexta-Feira e Sábado.
Silvestre I tentou que esta nomenclatura fosse adotada para além da Páscoa. Mas ela logo foi esquecida e, à exceção do Sábado e do Domingo, os antigos nomes pagãos continuaram a fazer parte do cotidiano dos povos cristãos, jamais sendo abolidos, prevalecendo as tradições, não a nova fé que se assumia comum aos reinos europeus.

Origem da Nomenclatura dos Dias da Semana em Inglês

Os nomes dos dias da semana, tanto em inglês, como em alemão e outras línguas do norte da Europa, têm a sua origem na mitologia nórdica e na adoração dos seus deuses pagãos, marcados principalmente pela força e bravura guerreira.
Em inglês o dia de Saturno continuou a vigorar, Saturday, mesmo depois da cristianização, assim como o dia do Sol, Sunday, e o dia da Lua (moon), Monday, substituindo-se os outros dias pelo nome dos deuses nórdicos.
Marte, deus da guerra dos romanos, foi substituído pelo deus Tyw, divindade maneta, senhor da força e da guerra. A Terça-Feira foi consagrada a este deus, ficando denominada Tuesday.
Mercúrio, o astuto deus dos comerciantes e dos ladrões, mensageiro dos deuses, foi substituído por Odin ou Wedin, deus da mitologia escandinava, ou Wotan, o mais poderoso dos deuses entre os germanos, com equivalência ao Zeus grego. A Quarta-Feira ficou denominada Wednesday (do deus Wedin).
Se a Quinta-Feira era na mitologia romana, consagrada ao poderoso Júpiter, aqui ele é substituído pelo deus escandinavo Thor, também ele deus do trovão, sendo Thursday o “dia de Thor”. Na literatura germânica o deus do trovão é traduzido por Donner, daí a designação de Donnerstag para a Quinta-Feira.
Finalmente a Sexta-Feira, consagrada à deusa do amor e da beleza, Vênus, era destinada à deusa Freya, a bela esposa de Odin, deusa do amor, da juventude e da morte na mitologia nórdica, daí a designação de Friday em inglês, e, Freitag em alemão (tag em alemão significa dia).

Os Dias da Semana em Português

Como já foi dito, Portugal foi o único país do mundo que adotou os dias da semana com a nomenclatura surgida no Concílio de Nicéia, derivados do latim eclesiástico. Sendo o português a última das línguas romanas a se formar, isto ajudou a que a língua não adotasse a nomenclatura pagã de outros povos.
Em 563 Martinho de Dume (ou Martinho de Braga), reuniu o Concílio de Braga, em Braga (hoje cidade portuguesa). Considerando ser indigno dos bons cristãos que se continuasse a chamar os dias da semana pelos nomes latinos de deuses pagãos, decidiu que se usaria a terminologia eclesiástica para os designar. Assim ficaram registrados: Feria Secunda, Feria Tertia, Feria Quarta, Feria Quinta, Feria Sexta, Sabbatum, Dominica Dies; evoluindo para a nomenclatura atual: Segunda-Feira, Terça-Feira, Quarta-Feira, Quinta-Feira, Sexta-Feira, Sábado e Domingo, constituindo assim, caso único nas línguas novilatinas, que substituiu integralmente a terminologia pagã pela terminologia cristã.
A “Feriae” (dia de descanso), termo latino, evoluiu para “feira”, vindo a ser usada a designação não só na semana da Páscoa, mas durante todos os dias do ano. Com exceção do Sábado, derivado do Shabbat hebreu, e do Domingo (então Prima Feria na semana da Páscoa), todos os outros dias em língua portuguesa vieram da derivação do latim eclesiástico.
Quanto ao dia considerado santo, ou tido como feriado, ele diverge entre as três principais religiões monoteístas do mundo contemporâneo, o islamismo, o judaísmo e o cristianismo. Se o conceito da criação divina do mundo não tem divergências entre as três, vários outros conceitos de fé fizeram com que os dias de reuniões de fé e de descanso fossem diferentes, sendo a Sexta-Feira (muçulmanos), o Sábado (judeus) e o Domingo (cristãos), os dias assinalados e consagrados pelos monoteístas.

Veja também:

  

CALENDÁRIOS DA HUMANIDADE

https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/16/calendarios-da-humanidade/


AIDS, UM FLAGELO CONTEMPORÂNEO

dezembro 2, 2008

 


Em 1988, há vinte anos, a OMS (Organização Mundial da Saúde), instituiu o Dia Mundial de Combate a AIDS, 1 de dezembro. Numa época em que ser declarado portador do vírus HIV constituía uma sentença de morte, era preciso que se chamasse a atenção do mundo para o maior flagelo do final do segundo milênio. Longe ia a descoberta de um tratamento eficaz, muito menos uma esperança de cura. O mundo assistia às imagens de pessoas debilitadas pelo flagelo, cadavéricas a definhar, cujo único destino era a morte. A face da AIDS assustava o mundo! A tragédia era iminente.
Longe vai da atualidade a imagem dos flagelados da AIDS dos anos de 1980 e da primeira metade da década de 1990. Tratamentos adormeceram o vírus, mas não o eliminou. Estudos sobre o HIV ainda vão longe de encontrar uma cura. Se a sobrevida dos portadores aumentou com as drogas, não os livrou da sina da doença. A AIDS não desapareceu do planeta, pelo contrário, está camuflada diante das terapias disponíveis. Tão perigosa quanto dantes, a doença mata silenciosamente os seus portadores, sem as imagens trágicas que se repetia no início da sua descoberta.
Relatórios recentes apontam que 33 milhões de pessoas estão infectadas pelo HIV em todo o planeta. O continente africano é o mais afetado pela epidemia. O tratamento é de alto custo, o que impossibilita que chegue aos países pobres do planeta. Nos países desenvolvidos a epidemia está camuflada pelas drogas terapêuticas, fazendo com que uma nova geração que não viu as mortes trágicas de outros tempos não a tema, descuidando-se da prevenção. Na primeira década de 2000 diminuiu o número de mortes causadas pela AIDS, em 2001 foram 2,2 milhões de mortos, em 2007 caiu para 2 milhões. Mas a ONU admite que a guerra está longe de ser vencida, e com a crise econômica mundial, teme que falte verba para o financiamento do tratamento em todo o planeta.
A AIDS hoje não tem cura, continua a matar silenciosamente. O melhor caminho para evitá-la continua a ser a prevenção, daí grandes campanhas pelo uso do preservativo nas relações sexuais. Desde o primeiro caso detectado no fim dos anos 1970 até os tempos atuais, a AIDS continua a ser um grande flagelo da humanidade.

Os Primeiros Anos da Epidemia

Em 12 de dezembro de 1977 morria, aos 47 anos, Margrethe P. Rask, médica e pesquisadora dinamarquesa, vítima de estranhos sintomas para a sua idade. Uma autópsia revelaria que os pulmões da médica estavam cheios de microorganismos que ocasionaram um tipo agressivo de pneumonia. Margrethe P. Rask tinha estado na África, a estudar o Ebola. Teria sido uma das primeiras vítimas da AIDS, mesmo não se tendo a certeza até os dias de hoje. Há relato ainda, de uma amostra sanguínea de um homem de Kinshasa, Congo, morto em 1959, que analisada recentemente ter-se-ia revelado soropositiva.
Em 1981 começaram a aparecer vários casos de doenças oportunistas em grupos de homossexuais americanos, principalmente na cidade de São Francisco, e em menor incidência, em Los Angeles e Nova York. A estranha doença chamou a atenção do centro de controle de doenças dos EUA. Descrevia-se pela primeira vez a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, sem nomeá-la cientificamente. A doença foi erroneamente vista como um mal que afetava apenas aos homossexuais, fazendo que o preconceito do governo Reagan ignorasse-a, não liberando verbas para um estudo mais profundo. Esta postura reacionária de Ronald Reagan, mantida por vários anos, atrasaria as descobertas de tratamentos por uma década, causando uma das maiores catástrofes de todos os tempos, a propagação da epidemia e, conseqüentemente, a morte de milhões de pessoas.
Em 1982 o centro de controle de doenças norte-americano começou a colher dados relacionados aos homossexuais, seus nomes e os nomes dos que com eles mantiveram relações sexuais, na tentativa de mapear a doença apenas em um determinado grupo de risco. Durante as entrevistas com os homossexuais, vários declararam ter tido relações sexuais com um mesmo homem, o comissário de bordo franco-canadense Gaetan Dugas. Este homem seria conhecido mais tarde como o paciente zero, teria sido através dele que a doença cruzou o Atlântico. Gaetan Dugas, o paciente zero, acusado pela história de ter trazido o vírus do HIV para os EUA, morreria em 1984.
A doença desconhecida começou a tomar proporções de uma epidemia iminente, atingido ainda em 1982, pessoas tóxico-dependentes, e as primeiras transmissões detectadas em transfusões sanguíneas. 14 países relataram ainda neste ano, casos da doença. Também no Brasil sete casos foram confirmados, todos em São Paulo e em pacientes homo ou bissexuais. Sem ainda ter um nome cientifico, a doença era chamada pela imprensa como GRID (Gay Related Immune Deficiency), ou como “Peste Gay”.
Completamente desconhecida, a doença causou pânico no mundo quando, em 1983, foram relatados casos de infecção em crianças nos EUA, sendo posta a hipótese de que poderia ser transmitida pelo ar e por utensílios domésticos comuns. Diante do alastramento epidemiológico, foi realizada em Denver, EUA, a primeira conferência sobre AIDS, chegando à triste conclusão de que 3000 casos da doença atingiam os americanos, com um total de 1283 mortos. A doença era ainda relatada em 33 países.
A identificação do agente etiológico da AIDS, um retrovírus, só foi feita em 1984, quando dois grupos de cientistas reclamaram para si a descoberta: o grupo do Dr. Luc Montagnier, do Instituto Pasteur de Paris e o grupo do Dr. Robert Gallo, do Instituto de Virulogia Humana da Universidade de Maryland, Estados Unidos. Na França o agente etiológico da AIDS foi reconhecido como LAV, associado a linfadenopatia; nos EUA foi chamado de HTLV-3. Após uma longa disputa entre as comunidades científicas pelos louros da descoberta, chegou-se ao consenso de denominá-lo HIV (em português vírus da imunodeficiência humana).
Já nesta época 7000 norte-americanos tinham a doença, obrigando o governo Reagan a dar maior atenção à epidemia, fazendo com que a secretária de saúde e serviços humanos da época, declarasse que antes de 1990 haveria uma vacina e a cura da AIDS. A esta altura a população homossexual de São Francisco está em grande número infectada, como medida preventiva, todas as saunas gays da cidade, ponto de encontros sexuais, são fechadas. Esta medida estender-se-ia por várias cidades da Europa.

Rock Hudson, o Primeiro Rosto da AIDS

Já identificado, o HIV continuava a ser visto pejorativamente como o “Câncer Gay”. Esta concepção gerou o estigma da doença. Já se identificava que a principal via de transmissão era a sexual. A AIDS revelava-se como uma doença de comportamento, o que trazia para quem a contraía, além do sofrimento físico, a discriminação e a culpa. Para o portador do HIV, desmoronava-se muitas vezes, a imagem de uma vida escondida, camuflada pela pressão social. Esta culpa comportamental atinge até os dias atuais os infectados pelo HIV, causando o isolamento social dos mesmos.
Se a AIDS parecia atingir somente os homossexuais, aos poucos ela foi mostrando-se sem limites de classes, raças ou opções sexuais. Já em 1985, dois outros grupos de pessoas padecem com a epidemia, o dos dependentes químicos e o dos hemofílicos. Já a AIDS há muito fazia parte do mundo e as transfusões de sangue eram feitas sem a menor preocupação com a doença. Os bancos de sangue isolavam apenas os grupos de homossexuais, os únicos apontados como possíveis transmissores do HIV. Só em 1985 chegava ao mercado um teste sorológico de metodologia imunoenzimática para diagnosticar a infecção causada pelo HIV, podendo ser utilizado para triagem nos bancos de sangue. Este teste passou a ser usado em todo o mundo, diminuindo o risco de transmissão do HIV através de transfusões sanguíneas.
É em 1985 que a epidemia toma proporções que comovem e assustam o mundo. A contaminação do astro de Hollywood, Rock Hudson comove o planeta, e a mídia explora a exaustão, o definhar de um grande ídolo. O ator fazia a série “Dinastia”, quando revelou a doença ao mundo. O pânico instalou-se no meio das atrizes que em cena, trocaram beijos apaixonados com ele. A descoberta fez com que os estúdios norte-americanos obrigassem os atores a um teste de HIV para que pudessem fazer cenas mais quentes entre si. A medida causou pânico e discriminação entre a classe artística. Enquanto a polêmica corria o mundo, Rock Hudson definhava a olhos vistos diante dos fãs e do mundo.
Em julho de 1985, os jornais anunciavam a chegada de Rock Hudson à França, para submeter-se a tratamento. Era a primeira vez que uma figura pública conhecida em todo o planeta padecia do flagelo do fim do século. A AIDS deixava de ser uma doença de vítimas anônimas para adquirir um rosto, uma expressão que causaria a comoção de todos. Esta identificação entre a AIDS e a celebridade revela ao mundo a sua homossexualidade, a necessidade de aceitação desta condição pela sociedade, já não é o “gay” anônimo das saunas de São Francisco que está morrendo, mas um homem com uma história e uma dignidade, mais definida pela luta contra a doença. Luta em vão, pois não há cura para tão trágico flagelo. A celebridade de Rock Hudson faz da sua morte anunciada uma causa que toma proporções políticas. Torna-se o primeiro militante anti AIDS apontado pela cronologia histórica da doença.
Pela primeira vez desde que detectada, a AIDS, refletida na figura de Rock Hudson, desperta a atenção além da maldição e do terror, gera-se nas pessoas princípios como a solidariedade e a coragem lúcida para enfrentar o flagelo. Pela primeira vez celebridades de todo o mundo, como Elizabeth Taylor (amiga pessoal do ator), mobilizam-se para apoiar os doentes. Uma militância densa anti AIDS espalha-se pelo mundo, sendo amplamente apoiada e divulgada pela imprensa. Ao mesmo tempo em que a militância solidária expande-se pelo mundo, o medo da doença aumenta. Afinal, se uma celebridade era infectada por uma doença mortal, qualquer pessoa estaria sujeita a ela. A AIDS torna-se uma realidade temida. Já não se pode ignorá-la, ou achar que se está imune não tendo relações homossexuais. A AIDS torna-se uma doença de risco em todas as vertentes das sociedades do planeta.
Os curtos meses de agonia e de luta de Rock Hudson, fez dele uma figura exemplar da luta contra a AIDS. No dia 3 de outubro de 1985, o jornal francês “Libération” anunciava a morte do ator de forma contundente: “Rock Hudson é o primeiro rosto vivo da AIDS (…) existira então a AIDS antes de Rock Hudson e a AIDS depois de Rock Hudson”.

As Primeiras Drogas Anti-Virais

Só em 1986, na segunda conferência internacional da AIDS, em Paris, foi reportada experiências iniciais com a primeira droga antiviral, a azidotimidina (AZT). Neste mesmo ano o FDA (Food and Drug Administration) aprovou o seu uso. Pela primeira vez uma droga revelava um impacto, ainda que discreto, sobre a mortalidade dos infectados pelo HIV.
No mesmo ano a OMS lançou uma estratégia global de combate à AIDS. Seringas e agulhas foram recomendadas que fossem esterilizadas. Também o uso do preservativo passou a ser estimulado entre as pessoas como medidas preventivas. Controles mais rígidos foram impostos aos bancos de sangue. Mesmo assim a epidemia avançava e a morte dos portadores era uma questão de tempo tão logo recebesse o diagnóstico. O AZT era uma luz ínfima dentro de um túnel sombrio e sem fim.
Após a morte de Rock Hudson, várias celebridades abraçaram a causa da militância a favor dos portadores do HIV e contra a discriminação dos mesmos. Em 1987 a princesa Diana abriu o primeiro hospital especializado em tratamento da AIDS na Inglaterra. Durante a inauguração, a princesa não usou luvas quando apertou as mãos de pessoas com AIDS, fato que suscitou comentários de toda a imprensa mundial, ajudando a dissipar as atitudes preconceituosas das pessoas.
Para intensificar mais a militância e o apoio aos portadores do HIV, a OMS instituiu em 1988, o Dia Mundial da Luta Contra AIDS, em 1 de dezembro. A primeira edição do Dia Mundial da AIDS teve como tema: “Junte-se ao esforço mundial”. Neste mesmo ano, os irmãos Henfil e Chico Mário (irmãos de Herbert de Souza, o Betinho), hemofílicos e contaminados pelo HIV, morreriam.
Em 1989 algumas drogas estão disponíveis no mercado, entre elas o DDI. O alto preço do AZT torna-se 20% mais barato. No dia 1 de dezembro o tema do Dia Mundial da AIDS era: “Cuidemos uns dos outros”. A década de 1980 era encerrada tendo a AIDS como o maior flagelo da humanidade, e com um número cada vez maior de infectados pelo planeta. Falar sobre cura era uma utopia distante a anos-luz.

Uma Luz Sobre o Tratamento

A década de 1990 começou com a morte de grandes celebridades, como o cantor e compositor brasileiro Cazuza, o cantor britânico Freddie Mercury e o bailarino soviético Rudolf Nureyev. O mundo parece incapaz diante do flagelo. Programas de trocas de seringas nas farmácias pelos dependentes químicos como meios de prevenção são criticados, causando polêmicas, assim como a distribuição de preservativos pelas escolas e locais públicos. A epidemia é uma realidade, assim como os costumes morais vigentes. Era preciso que se conscientizasse que a AIDS era a própria contestação dos costumes, e para combatê-la era preciso que se modificasse hábitos e preconceitos seculares.
Enquanto a luta contra os costumes e os preconceitos, como a resistência do uso dos preservativos pelos homens e pela igreja, está acirrada, também a luta nos laboratórios é tenaz, mas lenta diante das mortes causadas pela AIDS. Em 1991 um outro antiretroviral, o DDC, é autorizado para pacientes intolerantes ao AZT. Mesmo diante de novas drogas, constatava-se que a eficácia do tratamento era limitada, criando a resistência do vírus com o passar do tempo. Só em 1992 começa a ser usado a combinação de duas drogas (AZT e DDC), com relativo sucesso. Em 1994 é que se passou a estudar um novo grupo de drogas, os inibidores da protease, que demonstraram um potente efeito contra a infecção quando associados com drogas do grupo inibidor da transcriptase reversa (AZT). Esta associação passou a ser chamada de “coquetel”. Mas esta descoberta não chegou cedo aos pacientes, devido aos custos elevados do tratamento. Além disso, para que se formasse a combinação ideal para obter resultados eficazes, um grande número de comprimidos tinha que ser ingeridos pelos infectados, o que dificultava imensamente o tratamento e a tolerância dos mesmos.
Os inibidores da protease só foram aprovados pela primeira vez pelo FDA em 1995. A esta altura a AIDS era a principal causa de morte entre americanos com idade entre 25 e 44 anos. A epidemia atingira, desde o início da infecção, 400 mil pessoas nos EUA, com 250 mil mortes.
A luz sobre o tratamento dos infectados pela AIDS chegou finalmente, em 1996, quando um grande número de drogas foi aprovado pelo FDA, fazendo que diminuísse o preço, facilitando os governos dos países a assumirem os custos do tratamento de cada infectado. Neste ano, na conferência internacional da AIDS, ocorrida em Vancouver, foi anunciada que a combinação de três drogas tinha efeitos mais eficazes do que a terapia dual. Estava lançado o tratamento que aumentaria a sobrevida dos infectados, melhorando a sua qualidade de vida e terminando com a sentença de morte que o diagnóstico da AIDS trazia para quem contraía o vírus.
No fim da década de 1990, a AIDS adquiria uma outra face, o rosto de uma doença que já não se mostrava fulminantemente mortal. Passou a ser vista como uma doença crônica, que poderia ser tratada por muitos anos. Foi nesta década, em 1994, que se criou o UNAIDS, integrado por cinco agências de cooperação de membros da Organização das Nações Unidas (Unesco, Unicef, OMS, UNDP e UNFPA), além do Banco Mundial, com o objetivo de defender e garantir uma ação global para prevenção da AIDS.

A Negação do HIV Como o Causador da AIDS

A epidemia chegou a ser negada por um grupo de cientistas, que afirmou em suas teorias que o HIV não era a causa da AIDS. Para os autores da hipótese, a AIDS não seria causada pelo HIV, e sim pela poluição, pela fome, pelas drogas e pela vida destrutiva do indivíduo. Alguns chegavam a afirmar que as drogas descobertas na terapêutica da doença eram ineficazes, outros que elas desenvolviam a doença.
Estas hipóteses nasceram com Peter Duesberg, em 1984, e alcançou grandes adeptos até a década de 1990, quando David Ho desenvolveu medicamentos potentes que destruíram 99% do vírus, proporcionando aos infectados uma vida quase normal.
Ainda hoje a teoria de que o HIV não causa a AIDS persiste como uma fagulha especulativa dentro do mundo científico. Recentemente, Robert Gallo, um dos descobridores históricos do HIV, alimentou na Austrália a polêmica, ao declarar que os seus estudos não comprovavam que o HIV causava a AIDS. Esta declaração contribuiu ainda mais para que Gallo fosse visto como um grande oportunista da ciência, sendo desacreditado pelo meio acadêmico.
A negação do HIV foi politicamente aproveitada por vários líderes políticos de países africanos, que usavam da teoria para não gastar com medicamentos para o povo infectado. Esta atitude causou uma grande catástrofe na África do Sul. O ex-presidente Thabo Mbeki por anos assumiu a teoria, tentando desacreditar a AIDS em seu país, minimizando o problema, como se ele não existisse, chegando a duvidar da relação entre o HIV e a AIDS. Com isto, o seu ministério da saúde recomendou ao povo sul-africano que incluísse alho e limão na alimentação para combater a doença, espalhando que os remédios de tratamento eram uma farsa. O resultado desta omissão pôs a África do Sul no topo das estatísticas, com 5,5 milhões de infectados, sendo hoje o país com o maior número absoluto de casos no mundo.

Em Memória dos que Foram Disseminados pela AIDS

Na primeira década do terceiro milênio a AIDS tornou-se uma doença silenciosa. Não se vê os infectados sucumbirem como foi visto no auge do flagelo. O controle da doença garante aos infectados um anonimato, algo impossível no início da descoberta da doença, que chegava fulminante, deixando exposta a vida e a saúde de quem padecia deste mal.
Os portadores sofrem com um tratamento difícil, repleto de efeitos colaterais, como a distribuição de peso corporal, transformando o corpo e o rosto dos portadores completamente, muitas vezes destruindo-lhes a auto-estima. Não há mais grupos de riscos, a AIDS afeta homens, mulheres, crianças, jovens, velhos, homossexuais, heterossexuais. Continua a ser uma doença de comportamento, onde o uso da camisinha é o método mais eficaz de combate. Verifica-se um aumento da infecção em pessoas com mais de cinqüenta anos, que motivados por tratamentos com drogas contra a impotência, passaram a ter novamente uma vida sexual ativa, mas se esqueceram da prevenção, algo que não lhes é tão familiar quanto aos jovens.
Sem cura, a AIDS está longe de ser uma epidemia controlada, tão pouco extinta. 33 milhões de pessoas estão infectadas no mundo. A crise financeira pela qual passa os países, ameaça que os governos continuem a gastar tanto com o tratamento da doença. A AIDS continua a ser uma grande sombra camuflada no âmago da humanidade. Basta um sopro para que ela volte a devorar vidas com a mesma voracidade que se assistiu por mais de uma década.
No Dia Mundial da Aids, em 2008, um imenso laço vermelho, símbolo da luta contra a doença, foi erguido em frente à Casa Branca, em Washington, numa clara demonstração de respeito e empenho em seu combate pelo governo norte-americano, um grande contraste com a época do governo Ronald Reagan, que fechou os olhos à doença, discriminando-a como um “câncer gay”, condenando assim, milhões de vidas. É neste dia que o mundo inteiro reúne-se em uma militância benéfica através do planeta. Nestes momentos de luta, nomes ainda rondam as nossas memórias, nomes de vítimas deste grande flagelo, que de uma forma ou de outra, devem sempre ecoar na lembrança de todos nós: Rock Hudson, Rudolf Nureyev, Cazuza, Freddie Mercury, Brad Davis, Sandra Bréa, Thales Pan Chacon, Mário Viegas, Carlos Augusto Strazzer, Anthony Perkins, Cláudia Magno, Lauro Corona, Zacarias, Antonio Variações, Renato Russo, Herbert de Souza (o Betinho), Henfil… ou o nome de um amigo ou parente próximo.


DEZEMBRO

dezembro 1, 2008
Dezembro é o décimo segundo e último mês do ano do Calendário Gregoriano, possuindo 31 dias. Tem a característica de ser um mês que se inicia no mesmo dia da semana que Setembro.
Dezembro tem o seu nome derivado do latim Decem (significa dez), no antigo Calendário Romano Dezembro era o décimo mês do ano, que se iniciava em Março. Com a reforma do Calendário Juliano, Janeiro passou a ser o primeiro mês do ano. Originalmente Dezembro tinha 30 dias, com a transformação do mês de Sextilis em Agosto e este passar a ter 31 dias, Outubro e Dezembro mudaram a disposição que alternavam os dias dos meses, passando ambos a ter 31 dias.
Em Dezembro acontece o segundo e último solstício do ano. Aproximadamente no dia 21, o Sol atinge o ponto mais ao sul em sua trajetória pelo céu, formando o menor dia do ano no hemisfério boreal e o mais longo no hemisfério austral. É o marco do Solstício de Inverno no hemisfério norte e do Solstício de Verão no hemisfério sul.
No mês de Dezembro é comemorado na maioria dos países cristãos, o nascimento de Cristo, uma das datas mais importantes do cristianismo.
Dezembro inicia-se astrologicamente com o Sol no signo de Sagitário e termina no signo de Capricórnio. Astronomicamente, o Sol inicia-se na constelação de Escorpião e termina na constelação de Sagitário.

Dezembros na História do Mundo

01 de Dezembro
1640 – Iniciada em Portugal a revolta que culminaria com o fim da união com a Espanha, restaurando a independência de Portugal, levando ao poder a família de Bragança (na imagem A Aclamação de Dom João IV, de Veloso Salgado).
1909 – Fundado na Palestina, o primeiro kibutz, com o nome de Deganya Alef.
1918 – Aprovado pelo parlamento da Dinamarca, o decreto que proclamava a independência da Islândia.

02 de Dezembro
1804 – Napoleão Bonaparte é coroado na catedral de Notre Dame, em Paris, tornando-se o primeiro imperador da França.
1918 – A Armênia torna-se independente do Império Otomano.
1971 – Seis emirados árabes da costa oriental da península Arábica, unem-se formando os Emirados Árabes Unidos, sendo eles: Dubai, Abu Dhabi, Sharjah, Ajman, Umm al Qaiwain e Fujairah. Posteriormente, em 1972, uma sétima monarquia árabe, Ras al-Khaimah adere ao Emirado.

03 de Dezembro
1910 – O porto de Agadir, no Marrocos, é ocupado pela França.
1967 – Realizado, na cidade do Cabo, África do Sul, pelo médico Christian Barnard, o primeiro transplante de coração humano, feito em Louis Washkansky, que sobreviveu por 18 dias.
1996 – Sonda espacial encontra gelo na Lua.

04 de Dezembro
1829 – A Grã-Bretanha proíbe a prática do suttee, na Índia, ato que consistia em incinerar vivas as mulheres indianas viúvas, na pira funerária do marido.
1918 – Proclamação do reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, que formariam, futuramente, a Iugoslávia.
1980 – Morre Francisco Sá Carneiro, primeiro ministro de Portugal, em um acidente aéreo em Lisboa.

05 de Dezembro
1792 – Julgamento do rei da França, Luís XVI.
1933 – Após 13 anos em vigor, é abolida a lei seca nos Estados Unidos, que proibia a venda e o consumo de bebidas alcoólicas.
1946 – Nova York é a cidade eleita como sede permanente da Organização das Nações Unidas (ONU).

6 de Dezembro
1185 – Morre em Coimbra, dom Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.
1917 – A Finlândia declara-se independente da Rússia.
1921 – Surge o Estado independente da Irlanda, formado pelo sul da ilha, de maioria católica. O Ulster, no norte da ilha, de maioria protestante, permanece vinculado ao Reino Unido da Grã-Bretanha.

07 de Dezembro
1941 – A base naval norte-americana de Pearl Harbour, no Havaí, é atacada pelo Japão, obrigando os Estados Unidos a entrar na Segunda Guerra Mundial (na fotografia, momento do ataque).
1975 – Invadido, pela Indonésia, o leste de Timor, então colônia de Portugal.
1988 – O líder palestino Yasser Arafat admite, pela primeira vez, a existência do Estado judaico de Israel.

08 de Dezembro
1925 – Publicado na Alemanha, o livro “Mein Kampf” (“Minha Luta”), de Adolf Hitler.
1980 – Morre assassinado em Nova York, o músico, cantor e compositor John Lennon.
1991 – A União Soviética é dissolvida oficialmente. Doze países membros fundam a Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

09 de Dezembro
1905 – Decretada na França, a separação entre a igreja e o Estado.
1990 – O sindicalista e político polonês, Lech Walesa, é eleito presidente da Polônia.
1992 – Anunciada oficialmente, pelo primeiro ministro britânico, John Major, a separação do príncipe Charles da sua mulher, a princesa Diana.

10 de Dezembro
1896 – Morre o industrial sueco Alfred Nobel, deixando a fortuna em testamento, para premiar pessoas que contribuíssem para o bem da humanidade, criando assim, o Prêmio Nobel.
1901 – Entregues pelo rei da Suécia, os primeiros prêmios Nobel.
1948 – Proclamada pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

11 de Dezembro
1936 – Abdicação do rei Eduardo VIII, da Inglaterra, deixando o trono para casar-se com Wallis Simpson, uma norte-americana divorciada.
1946 – Fundada, pela ONU, a UNICEF, entidade voltada para o atendimento às necessidades básicas das crianças no mundo.
1993 – Eduardo Frei vence as eleições no Chile.

12 de Dezembro
1112 – Morre o príncipe cruzado Tancredo da Galileia.
1963 – Proclamadas a independência e República do Quênia.
1992 – Transportados para a Ilha Negra, Chile, os restos mortais do poeta Pablo Neruda e da sua companheira Matilde Urrutia.

13 de Dezembro
1521 – Morre, tombado pela peste, dom Manuel I, rei de Portugal.
1642 – Descoberta a Nova Zelândia, pelo navegador holandês Abel Tasman.
1959 – O arcebispo Makarios é eleito presidente de Chipre.

14 de Dezembro
1799 – Morre George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos.
1911 – Roald Amundsen, explorador norueguês, é o primeiro homem a atingir o Pólo Sul (na fotografia, Roald Amundsen e cães no Pólo Sul).
1918 – Assassinado em Lisboa, o político Sidónio Pais.

15 de Dezembro
1939 – Estréia de um dos maiores clássicos do cinema, o filme “… E o Vento Levou”, produção de David Selznick, com Clark Gable e Vivien Leigh.
1961 – Adolf Eichmann, líder nazista responsável pela deportação de judeus para campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial, é condenado à morte, por um tribunal erguido em Israel.
1995 – Denominada de Euro a unidade de conta européia, futura moeda da União Européia.

16 de Dezembro
1631 – Erupção do vulcão Vesúvio, no sul da Itália, destruindo cinco cidades e matando mais de 3 mil pessoas.
1916 – Assassinado em Petrogrado, atual São Petersburgo, o monge Rasputin.
1969 – Abolida, pelo Parlamento britânico, a pena de morte.

17 de Dezembro
1538 – Excomungado Henrique VIII, da Inglaterra, pelo papa Paulo III, após o soberano inglês declarar-se chefe da igreja Anglicana.
1571 – Iniciado em Salamanca, Espanha, o processo inquisitorial contra o frei Luís de Leon.
1996 – Invadida, em Lima, Peru, a embaixada do Japão, pelo Movimento Revolucionário Tupac Amaru.

18 de Dezembro
1644 – Início do reinado da rainha Cristina da Suécia.
1916 – Fim da Batalha de Verdun, uma das mais sangrentas da Primeira Guerra Mundial, responsável pela morte de quase um milhão de combatentes de ambos os lados.
1956 – O Japão é aceito como membro da Organização das Nações Unidas.

19 de Dezembro
1991 – No ano em que a União Soviética foi extinta, Boris Yeltsin assume o controle do Kremlin.
1996 – Morre o ator italiano Marcello Mastroianni.
1999 – Macau é devolvida para a China, pelo governo português.

20 de Dezembro
1694 – Frederico de Brandeburgo reconquista Schfibus para o Sacro Império Romano.
1976 – O primeiro ministro de Israel, Yitzhak Rabin, renuncia ao cargo.
2001 – Grande crise econômica e política na Argentina levam à renuncia o presidente Fernando de La Rua e o seu ministro da Economia, Domingo Cavallo.

21 de Dezembro
1846 – Robert Liston utiliza em Londres, pela primeira vez, o uso da anestesia em uma cirurgia.
1898 – Descoberto o elemento rádio pelos cientistas Pierre e Marie Curie.
1988 – Atentado terrorista da organização “Guardiões Islâmicos” provoca a queda de um Boeing 747 da Pan Am, que cai em Lockerbie, na Escócia, matando 258 passageiros e 17 habitantes do local (na fotografia, destroços do avião).

22 de Dezembro
69 – Assassinado o imperador romano Vitelius.
1981 – O general Leopoldo Galtieri torna-se presidente da Argentina, após uma junta militar ter deposto o presidente Viola.
1989 – Revolta popular na Romênia derruba o governo comunista do ditador Nicolau Ceausescu.

23 de Dezembro
1667 – O padre Antonio Vieira é condenado pela Inquisição à reclusão e ao silêncio.
1888 – Movido por uma forte depressão, o pintor holandês Vincent Van Gogh corta parte da sua orelha esquerda.
1972 – Um grande terremoto atinge Manágua, capital da Nicarágua, causando a morte de cerca de 7 mil pessoas.

24 de Dezembro
1779 – Dona Maria I, rainha de Portugal, cria a Academia Real das Ciências de Lisboa.
1865 – Fundada no Tennessee, Estados Unidos, a Klu Klux Klan, organização secreta que promovia o terrorismo contra as minorias raciais, em especial, aos negros.
1866 – O ducado de Schleswig-Holstein é incorporado à Prússia.

25 de Dezembro
336 – Celebrado em Roma, pela primeira vez, o Natal no dia 25 de dezembro.
800 – Carlos Magno é coroado como imperador pelo papa Leão III.
1977 – Morre em sua casa, na Suíça, o diretor e ator Charles Chaplin.

26 de Dezembro
1941 – Os Estados Unidos declaram Manila, nas Filipinas, como cidade aberta durante a Segunda Guerra Mundial.
1974 – A União Soviética lança no espaço a estação espacial “Salyut 4”.
1985 – O Mali e o Burkina Faso travam entre si, violentos combates por causa de uma disputa fronteiriça.

27 de Dezembro
1927 – Leon Trotski é expulso do Partido Comunista da União Soviética, dando passagem para que Stalin se torne o líder absoluto do país.
1945 – É criado o Fundo Monetário Internacional (FMI), na Conferência de Bretton Woods, nos Estados Unidos.
1979 – Tropas da União Soviética invadem o Afeganistão.

28 de Dezembro
1895 – Realizada no subterrâneo do Grand Café, em Paris, a primeira projeção pública de cinema, feita pelos irmãos Lumiére (foto).
1937 – Estabelecida a primeira Constituição da República da Irlanda.
1940 – Os alemães lançam milhares de bombas sobre Londres, destruindo prédios importantes da cidade.

29 de Dezembro
1170 – Thomas Becket, arcebispo de Canterbury, é assassinado na Inglaterra, por ordem do rei Henrique II.
1949 – Após nacionalizar as suas industrias, a Hungria passa a viver sob um regime comunista.
1997 – Rebeldes integralistas muçulmanos matam 42 pessoas em províncias da Argélia.

30 de Dezembro
1803 – Os Estados Unidos tomam posse do território da Louisiana, comprado dos franceses.
1922 – Em Moscou, o Congresso dos Soviets aprovam a criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.
2006 – Executado por enforcamento, o ex-presidente do Iraque, Saddam Hussein.

31 de Dezembro
1857 – Ottowa é eleita como capital do Canadá, pela rainha Vitória.
1978 – Morre em combate, Nicolau dos Santos Lobato, presidente da Frente de Libertação de Timor-Leste (Fretilim).
1999 – O canal do Panamá deixa de ser domínio norte-americano, passando a ser do Panamá.

Dezembros na História do Brasil

01 de Dezembro
1822 – Sagração e coroação de dom Pedro I, no Rio de Janeiro.
1822 – Criada por dom Pedro I, a Imperial Ordem do Cruzeiro, primeira e mais importante condecoração do Brasil (na fotografia, medalhas de condecoração da Ordem Imperial do Cruzeiro).
1903 – Lançamento da obra “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, retratando a Guerra de Canudos.

02 de Dezembro
1825 – Nasce no Rio de Janeiro, dom Pedro de Alcântara, futuro dom Pedro II.
1833 – O ator João Caetano inicia a sua carreira em Niterói, Rio de Janeiro.

03 de Dezembro
1530 – Parte de Lisboa, Portugal, a frota de Martim Afonso de Sousa, com o objetivo de iniciar a colonização efetiva do Brasil.
1811 – O príncipe regente, dom João, abre aos estudiosos a Real Biblioteca, antes privativa da Corte.

04 de Dezembro
1532 – Morre em Portugal o frei Henrique Soares de Coimbra, que celebrou a primeira missa no Brasil, em 1500.
1810 – Criada, por carta de lei de dom João VI, a Academia Real Militar na Corte e Cidade do Rio de Janeiro, atual Academia Militar das Agulhas Negras.

05 de Dezembro
1697 – Destruído, por expedição de Domingos Jorge Velho, o Quilombo dos Palmares, reduto de resistência à escravidão por 64 anos, situado na Serra da Barriga, região do atual Estado de Alagoas.
1891 – Morre em Paris, num quarto do Hotel Bedford, o ex-imperador dom Pedro II.
1932 – Getúlio Vargas restabelece a Ordem do Cruzeiro, extinta com a República, agora Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul.

06 de Dezembro
1741 – Basílio da Gama, autor do poema épico O Uruguai, é batizado na capitania de Minas Gerais.
1868 – O exército brasileiro vence a Batalha de Itororó, um dos enfrentamentos decisivos da Guerra do Paraguai.

07 de Dezembro
1843 – Nasce no Rio de Janeiro, Marc Ferrez, fotógrafo e pioneiro da exibição de filmes no Brasil.
1866 – Império autoriza a navegação mercantil estrangeira na bacia do Amazonas.

08 de Dezembro
1872 – O Elevador Lacerda (foto) é inaugurado em Salvador.
1994 – Morre nos Estados Unidos, o maestro soberano Antônio Carlos Jobim, um dos maiores nomes da MPB.

09 de Dezembro
1839 – Resolução nº 11 do governo de Alagoas, eleva à condição de cidade a Vila de Maceió, sede da província.
1965 – Tiradentes é declarado pelo regime militar o patrono do Brasil.

10 de Dezembro
1570 – A Coroa portuguesa regulamenta a força militar no Brasil, através do regimento dos capitães-mores.
1825 – Brasil declara guerra às Províncias Unidas do Rio da Prata (atual Argentina) pela posse da Província Cisplatina (atual Uruguai).

11 de Dezembro
1857 – Nasce no Rio de Janeiro, Rodolfo Amoedo, um dos responsáveis pela renovação do ensino de arte no Brasil, autor de belíssimas telas, como Amuada, de 1882.
1868 – Sob o comando do general Osório, os brasileiros vencem os paraguaios no confronto conhecido como Batalha do Avaí (na foto, quadro Batalha do Avaí, de Pedro Américo).

Dia 12 de Dezembro
1605 – Feito em Lisboa o Regimento do Pau-Brasil, que regulamenta o corte dessa espécie de árvore e a protege das queimadas.
1897 – A capital de Minas Gerais é transferida de Ouro Preto para Belo Horizonte.
1968 – O governo militar pede licença à Câmara para processar o deputado Márcio Moreira Alves, tendo o pedido negado por 216 a 141 votos.

13 de Dezembro
1519 – Fernão de Magalhães chega à atual baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, chamada por ele de Santa Luzia.
1968 – Editado o Ato Institucional nº 5, que restringirá por dez anos as liberdades individuais e os direitos políticos dos brasileiros.

14 de Dezembro
1775 – Nasce em Lanarkshire, Escócia, Thomas Cochrane, o lorde Cochrane, primeiro almirante da marinha brasileira.
1833 – José Bonifácio é destituído do cargo de tutor de dom Pedro II.

15 de Dezembro
1944 – Nasce em Xapuri, Acre, Francisco Alves Mendes Filho, o líder seringueiro Chico Mendes.
1967 – Regime militar institui o Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral), para alfabetizar adultos.

16 de Dezembro
1500 – Morre em Calicute, Índia, Pero Vaz de Caminha, autor do primeiro documento descritivo sobre o Brasil.
1815 – Príncipe regente dom João eleva o Brasil à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarve.

17 de Dezembro
1548 – O rei dom João III de Portugal, cria o governo geral do Brasil, com sede em Salvador, Bahia.
1915 – Destruição da Cidade Santa de São Pedro, em Santa Catarina, selando o fim da Guerra do Contestado.

18 de Dezembro
1711 – Fundado por iniciativa de Alexandre de Gusmão, ministro do rei de Portugal dom João V, o Seminário de Belém, primeiro internato de ensino secundário no Brasil.
1833 – Morre em Salvador João das Botas, o “marinheiro da Independência”, importante figura nas lutas de emancipação da Bahia.

19 de Dezembro
1983 – Roubada na sede da CBF, no Rio de Janeiro, a Taça Jules Rimet, conquistada pela seleção brasileira de futebol em 1970.
1990 – Morre o cronista Rubem Braga, no Rio de Janeiro.

20 de Dezembro
1627 – Frei Vicente do Salvador termina a sua História do Brasil, primeiro livro com este nome e escrito por um natural da terra.
1633 – Nasce em Salvador, o poeta satírico Gregório de Matos, conhecido como “Boca do Inferno”.

21 de Dezembro
1889 – O governo provisório da República recém-proclamada bane do território nacional o imperador deposto, dom Pedro de Alcântara, e sua família, que já haviam partido para a Europa.
1980 – Morre o dramaturgo e jornalista Nelson Rodrigues, no Rio de Janeiro.

22 de Dezembro
1978 – O Diário de Pernambuco divulga lista com o nome de 78 torturadores.
1988 – Assassinado Chico Mendes, no quintal da sua casa em Xapuri.

23 de Dezembro
1667 – Sentença da Santa Inquisição condena o padre Antônio Vieira à reclusão e ao silêncio.
1907 – Em São Paulo, Anita Tibiriçá é a primeira mulher brasileira a receber habilitação de motorista.

24 de Dezembro
1951 – Salário mínimo tem aumento de 215%, após oito anos de congelamento.
1999 – Morre no Rio de Janeiro, o general João Baptista de Oliveira Figueiredo, último presidente da ditadura militar (1979 -1985).

25 de Dezembro
1591 – Soldados do corsário inglês Thomas Cavendish desembarcam em Santos, permanecendo ali por dois meses, saqueando e incendiando o local antes de partirem.
1599 – Instalada no Rio Grande do Norte, a vila de Natal.

26 de Dezembro
1812 – Nasce em São Paulo de Luanda, Angola, Eusébio Matoso Câmara, responsável pela lei que proíbe o tráfico de escravos para o Brasil.
1924 – 250 presos políticos partem em navio para a colônia penal de Clevelândia, no extremo norte do país. Quase metade morre antes de chegar ao destino.

27 de Dezembro
1797 – Nasce na cidade de São Paulo, Domitila de Castro Canto e Melo, futura marquesa de Santos e amante favorita de dom Pedro I (na foto em um óleo de F. P. do Amaral).
1969 – Morre em Roma, o jesuíta Serafim Leite, autor dos dez volumes de História da Companhia de Jesus no Brasil.

28 de Dezembro
1889 – Morre em Portugal dona Teresa Cristina, imperatriz deposta do Brasil.
1921 – O Decreto nº 4.419 determina o traslado para o Brasil do corpo de dona Isabel de Orleans e Bragança, a princesa Isabel, que assinou a Lei Áurea em 1888.

29 de Dezembro
1917 – Lei estadual de São Paulo proíbe trabalho de menores de 12 anos.
1992 – Fernando Collor de Melo, a enfrentar um processo de impeachment, renuncia à Presidência da República.

30 de Dezembro
1899 – Nasce em Natal, Rio Grande do Norte, o folclorista e etnólogo Luís da Câmara Cascudo.
1930 – Gravado o samba Com que Roupa, de Noel Rosa.

31 de Dezembro
1896 – Inaugurado o Teatro Amazonas, em Manaus.
1964 – O regime militar cria o Banco Central do Brasil.

Nascidos em Dezembro

01 de Dezembro
Anselmo Vasconcelos, ator brasileiro
Bette Midler, atriz e cantora norte-americana
Mary Martin, atriz norte-americana
Richard Pryor, ator norte-americano
Walcyr Carrasco, escritor e novelista brasileiro
Woody Allen, ator e diretor norte-americano

02 de Dezembro
Anita Malfatti, pintora brasileira
Gianni Versace, estilista italiano
Gustavo Borges, atleta da natação brasileiro
Maria Callas, cantora lírica norte-americana
Pedro II do Brasil, último imperador brasileiro
Stepan Nercessian, ator brasileiro

03 de Dezembro
Antonio Variações, cantor e compositor português
Brendan Fraser, ator norte-americano
Daryl Hannah, atriz norte-americana
Jean-Luc Godard, cineasta francês
Joseph Conrad, escritor polaco-britânico
Julianne Moore, atriz norte-americana
Roberto Marinho, jornalista e empresário brasileiro

04 de Dezembro
Francisco Franco, chefe de Estado e ditador espanhol
Jeff Bridges, ator norte-americano
Luma de Oliveira, atriz e modelo brasileira
Marisa Tomei, atriz norte-americana
Wassily Kandinsky, pintor russo

05 de Dezembro
Ângela Rô Rô, cantora e compositora brasileira
Carlos Marighela, político e líder guerrilheiro brasileiro
Danielle Winits, atriz brasileira
Egberto Gismonti, compositor e músico brasileiro
Fritz Lang, cineasta austríaco
José Carreras, cantor lírico espanhol
Otto Preminger, cineasta austríaco
Tozé Martinho, ator e roteirista português
Walt Disney, cineasta e produtor de desenhos animados norte-americano

06 de Dezembro
Agnes Moorehead, atriz norte-americana
Antonio Calloni, ator brasileiro
Emílio Santiago, cantor brasileiro
Tom Hulce, ator norte-americano

07 de Dezembro
Eli Wallach, ator norte-americano
Ellen Burstyn, atriz norte-americana
Giovanni Bernini, arquiteto e escultor italiano
Marc Ferrez, fotógrafo brasileiro
Mário Soares, político e estadista português
Rosemary, cantora brasileira
Tom Waits, compositor, cantor, músico e ator norte-americano
Xuxa Lopes, atriz brasileira

08 de Dezembro
Ângela Leal, atriz brasileira
Camille Claudel, escultora francesa
David Carradine, ator norte-americano
Diego Rivera, pintor norte-americano
Florbela Espanca, poetisa portuguesa
Kim Basinger, atriz norte-americana
Lee J. Cobb, ator norte-americano
Maximilian Schell, ator austríaco
Richard Fleischer, cineasta norte-americano
Sammy Davis Jr, ator e cantor norte-americano

09 de Dezembro
Douglas Fairbanks Jr, ator norte-americano
John Cassavetes (foto), ator e cineasta norte-americano
John Malcovich, ator norte-americano
John Milton, escritor britânico
Kirk Douglas (foto), ator norte-americano
Milton Gonçalves, ator e diretor brasileiro

10 de Dezembro
Cássia Eller, cantora brasileira
Clarice Lispector, escritora brasileira nascida na Ucrânia
Dorothy Lamour, atriz norte-americana
Emily Dickinson, poetisa norte-americana
Kenneth Branagh, ator e diretor britânico
Susan Dey, atriz norte-americana
Wilson Grey, ator brasileiro

11 de Dezembro
Carlo Ponti, produtor de filmes italiano
Carlos Gardel, cantor de tango argentino nascido na França
Elizângela, atriz brasileira
Ewerton de Castro, ator brasileiro
Manoel de Oliveira, cineasta português
Noel Rosa, compositor brasileiro
Rita Moreno, atriz e cantora porto-riquenha
Teri Garr, atriz norte-americana
Tuca Andrada, ator brasileiro

12 de Dezembro
Arnaldo Jabor, crítico, escritor e cineasta brasileiro
Connie Francis, cantora norte-americana
Dionne Warwick, cantora norte-americana
Edward G. Robinson, ator norte-americano
Emerson Fittipaldi, corredor automobilístico brasileiro
Frank Sinatra, cantor e ator norte-americano
Guel Arraes, diretor brasileiro
Gustave Flaubert, escritor francês
Jorge Dória, ator brasileiro
Kátia D’Ângelo, atriz brasileira
Silvio Santos, empresário e apresentador de Tv brasileiro

13 de Dezembro
Christopher Plummer, ator canadense
Curd Jürgens, ator alemão
Dick Van Dyke, ator norte-americano
Luiz Gonzaga, cantor e compositor brasileiro
Van Heflin, ator norte-americano

14 de Dezembro
Eva Wilma, atriz brasileira
Jane Birkin, atriz e cantora britânica
Lee Remick (foto), atriz norte-americana
Nostradamus, apotecário e astrólogo francês

15 de Dezembro
Adriana Esteves, atriz brasileira
Chico Mendes, líder seringueiro, ambientalista e político brasileiro
Cristiana Oliveira, atriz brasileira
Don Johnson, ator norte-americano
Gustave Eiffel, engenheiro e arquiteto francês
Jeff Chandler, ator norte-americano
Miguel Arraes, político brasileiro
Oscar Niemeyer, arquiteto brasileiro

16 de Dezembro
Arthur C. Clark escritor e inventor britânico
Jane Austen, escritora inglesa
Liv Ullmann, atriz norueguesa nascida no Japão
Luciana Braga, atriz brasileira
Ludwig van Beethoven, compositor erudito alemão
Olavo Bilac, poeta brasileiro

17 de Dezembro
Bill Pullman, ator norte-americano
Érico Veríssimo, escritor brasileiro
Milla Jovovich, atriz e modelo ucraniana

18 de Dezembro
Betty Grable, atriz, cantora e dançarina norte-americana
Brad Pitt, ator norte-americano
Ray Liotta, ator norte-americano
Steven Spielberg, cineasta norte-americano

19 de Dezembro
Edith Piaf, cantora francesa
Jake Gyllenhaal, ator norte-americano
Robert Urich, ator norte-americano

20 de Dezembro
Gigliola Cinquetti, cantora italiana
Irene Dunne, atriz norte-americana
Silvio de Abreu, novelista brasileiro
Uri Geller, místico e ilusionista israelita

21 de Dezembro
Altamiro Carrilho, músico, compositor e flautista brasileiro
Carlos do Carmo, cantor fadista português
Jane Fonda (foto), atriz norte-americana
Joseph Stalin, líder soviético nascido na Geórgia
Kiefer Sutherland, ator inglês
Norma Geraldy, atriz brasileira
Samuel L. Jackson, ator norte-americano

22 de Dezembro
Aline Moraes, atriz brasileira
Eri Johnson, ator brasileiro
Gerson Brener, ator brasileiro
Giacomo Puccini, compositor de óperas italiano
Jean-Michel Basquiat, artista plástico norte-americano
Jean Racine, dramaturgo francês
João Signorelli, ator brasileiro
Ralph Fiennes, ator britânico
Ricardo Waddington, diretor de televisão brasileiro
Tato Gabus Mendes, ator brasileiro

23 de Dezembro
Cláudia Raia, atriz brasileira
Dino Risi, cineasta italiano
Giba, jogador de vôlei brasileiro
Sissi, princesa da Áustria nascida na Alemanha

24 de Dezembro
Ava Gardner (foto), atriz norte-americana
Cláudio Cavalcanti, ator brasileiro
Howard Hughes, aviador, produto e diretor de cinema norte-americano
Mafalda Veiga, cantora e compositora portuguesa
Ricky Martin, cantor porto-riquenho

25 de Dezembro
Anwar Sadat, político egípcio
Humphrey Bogart (foto), ator norte-americano
Isaac Newton, cientista britânico
Simone, cantora brasileira
Sissy Spacek, atriz norte-americana

26 de Dezembro
Henry Miller, escritor brasileiro
Mao Tse-tung, líder político chinês
Richard Widmark, ator norte-americano

27 de Dezembro
Domitília de Castro e Canto Melo (Marquesa de Santos), personagem histórica brasileira
Gerard Depardieu, ator francês
Louis Pasteur, cientista francês
Marlene Dietrich (foto), atriz alemã

28 de Dezembro
Denzel Washington, ator norte-americano
Giulia Gam, atriz ítalo-brasileira
Irineu Evangelista de Sousa (Visconde de Mauá), industrial, banqueiro e político brasileiro
Leonardo Vieira, ator brasileiro
Maggie Smith, atriz britânica
Mariana Rey Monteiro, atriz portuguesa

29 de Dezembro
Alves Redol, escritor português
Canarinho, ator e humorista brasileiro
Cândido Portinari, pintor brasileiro
Jon Voight, ator norte-americano
Jude Law (foto), ator inglês
Mary Tyler Moore, atriz norte-americana
Ted Danson, ator norte-americano

30 de Dezembro
Jack Lord, ator norte-americano
Luís da Câmara Cascudo, jornalista, folclorista e antropólogo brasileiro
Selton Mello, ator brasileiro

31 de Dezembro
Anthony Hopkins, ator britânico
Ben Kingsley, ator britânico
Donna Summer, cantora norte-americana
Henri Matisse, pintor francês
Luciano Szafir, ator brasileiro
Pedro Cardoso, ator brasileiro
Rita Lee, cantora e compositora brasileira
Val Kilmer, ator norte-americano

Datas Comemorativas

01 de Dezembro – Dia Internacional da Luta Contra a AIDS
01 de Dezembro – Dia da Restauração da Independência Portuguesa
01 de Dezembro – Dia do Imigrante
01 de Dezembro – Dia do Numismata
02 de Dezembro – Dia Nacional do Samba
02 de Dezembro – Dia da Astronomia
02 de Dezembro – Dia Pan-Americano da Saúde
02 de Dezembro – Dia Nacional das Relações Públicas
03 de Dezembro – Dia Internacional do Portador de Deficiência
04 de Dezembro – Dia da Propaganda
04 de Dezembro – Dia do Pedicuro
04 de Dezembro – Dia do Orientador Educacional
05 de Dezembro – Dia da Bíblia
07 de Dezembro – Dia do Ataque a Pearl Harbor (EUA)
08 de Dezembro – Dia da Imaculada Conceição
08 de Dezembro – Dia da Família
08 de Dezembro – Dia da Justiça
09 de Dezembro – Dia da Criança Defeituosa
09 de Dezembro – Dia do Fonoaudiólogo
09 de Dezembro – Dia do Alcoólico Recuperado
10 de Dezembro – Declaração Universal dos Direitos Humanos
10 de Dezembro – Dia Internacional dos Povos Indígenas
10 de Dezembro – Dia Universal do Palhaço
11 de Dezembro – Dia do Arquiteto
11 de Dezembro – Dia do Engenheiro
13 de Dezembro – Dia do Cego
13 de Dezembro – Dia do Marinheiro
13 de Dezembro – Dia Ótico
13 de Dezembro – Dia de Santa Luzia
13 de Dezembro – Dia do Engenheiro Avaliador e Perito de Engenharia
14 de Dezembro – Dia Nacional do Ministério Público
15 de Dezembro – Dia do Cliente
16 de Dezembro – Dia do Reservista
18 de Dezembro – Dia do Museólogo
20 de Dezembro – Dia do Mecânico
21 de Dezembro – Dia do Atleta
22 de Dezembro – Solstício: de verão no hemisfério sul e de inverno no hemisfério norte
23 de Dezembro – Dia do Vizinho
24 de Dezembro – Dia do Órfão
25 de Dezembro – Natal
26 de Dezembro – Dia da Lembrança
28 de Dezembro – Dia do Salva-Vidas
31 de Dezembro – Dia de São Silvestre
31 de Dezembro – Reveillon

 

Veja também:

 

JANEIRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/24/janeiro/

FEVEREIRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/28/fevereiro/

MARÇO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/02/marco/

ABRIL: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/20/abril/

MAIO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/05/02/maio/

JUNHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/06/01/junho/

JULHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/07/01/julho/

AGOSTO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/08/01/agosto/

SETEMBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/09/01/setembro/

OUTUBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/10/01/outubro/

NOVEMBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/11/01/novembro/


NOVEMBRO

novembro 1, 2008
 
Novembro é o décimo primeiro mês do ano do Calendário Gregoriano, possui 30 dias. O mês inicia no mesmo dia da semana que Fevereiro, com exceção para os anos bissextos, e no mesmo dia da semana que Março.
Novembro tem o seu nome derivado do latim Novem (significa nove), no antigo Calendário Romano Novembro era o nono mês do ano, que se iniciava em Março. Com a reforma do Calendário Juliano, Janeiro passou a ser o primeiro mês do ano. Originalmente Novembro tinha 31 dias, com a transformação do mês de Sextilis em Agosto e este passar a ter 31 dias, Setembro e Novembro mudaram a disposição que alternavam os dias dos meses, passando ambos a ter 30 dias.
Novembro é um mês do outono no hemisfério boreal e da primavera no hemisfério austral. Para as culturas antigas, em especial a Celta, 1 de Novembro era a data oficial do início do inverno. Em outras partes da Europa, as velhas tradições pagãs assimilaram os dias quentes do mês, chamados de “Verão de São Martinho”, marcando o início do inverno a 11 de Novembro, dia dedicado ao santo. É o mês da colheita das azeitonas no hemisfério norte, tendo como simbolismo a frutificação das oliveiras e a produção do azeite. No hemisfério sul Novembro é o caminho para o verão, com dias quentes e chuvosos.
Novembro inicia-se astrologicamente com o Sol no signo de Escorpião e termina no signo de Sagitário. Astronomicamente, o Sol inicia-se na constelação de Libra (Balança) e termina na constelação de Escorpião.

Novembros na História do Mundo

01 de Novembro
1512 – Exibido pela primeira vez ao público, o teto da Capela Sistina (foto), pintado por Michelangelo.
1755 – Grande terremoto destrói Lisboa, deixando mais de 50 mil mortos.
1993 – O Tratado de Maastricht, que estabelece união monetária, econômica e política na União Européia, entra em vigor.

02 de Novembro
1721 – Pedro I, o Grande, é proclamado imperador da Rússia.
1917 – Publicada a declaração Balfour sobre a Palestina, em que a Grã-Bretanha declara-se favorável ao estabelecimento de um Estado Judaico naquela região.
1975 – Assassinado em Ostia, arredores de Roma, o diretor de cinema e escritor italiano, Pier Paolo Pasolini.

03 de Novembro
1957 – Lançado no espaço, pela União Soviética, o satélite artificial Sputnik, com a cadela Laika a bordo.
1970 – Salvador Allende assume a presidência do Chile.
1992 – Bill Clinton é eleito presidente dos Estados Unidos.

04 de Novembro
1307 – A Confederação Suíça declara-se independente da Áustria.
1979 – Estudantes iranianos, instigados pelo governo, invadem a embaixada norte-americana em Teerã, fazendo 90 reféns.
1995 – Assassinado o primeiro ministro de Israel, Yitzhak Rabin.

05 de Novembro
1911 – A Itália anexa Trípoli e a Cirenaica, atual Líbia.
1914 – Após declarar guerra ao Império Otomano, ao lado da França, a Grã-Bretanha ocupa a ilha de Chipre.
2006 – Saddam Hussein é condenado à morte na forca.

6 de Novembro
1860 – Abraham Lincoln é eleito presidente dos Estados Unidos.
1921 – Um grande incêndio destrói o Teatro Ginásio em Lisboa.
1943 – A cidade de Kiev é recapturada pelos soviéticos, após dois anos de ocupação alemã.

07 de Novembro
1659 – Espanha e França assinam o tratado de paz dos Pirineus, pondo fim a uma guerra entre os dois países.
1917 – O partido bolchevique, chefiado por Lênin, derruba o governo de Kerensky, conclamando a Revolução de Outubro (calendário Juliano) na Rússia (na fotografia, cartaz de propaganda com Lênin).
1989 – Manifestações populares pela democracia na República Democrática Alemã (RDA), faz com que o governo se demita.

08 de Novembro
1793 – O museu do Louvre, em Paris, é aberto ao público.
1895 – Descoberto, acidentalmente, os raios X, pelo físico alemão Wilhelm Conrad Rontgen.
1960 – John F. Kennedy é eleito presidente dos Estados Unidos.

09 de Novembro
1938 – Deflagrada a “Noite de Cristal” na Alemanha, em que os nazistas incendeiam sinagogas e saqueiam lojas pertencentes aos judeus.
1970 – Morre o estadista francês Charles de Gaulle.
1989 – Queda do muro de Berlim, pondo simbolicamente, fim à Guerra Fria.

10 de Novembro
1625 – Os holandeses cedem a cidade de Nova Amsterdã, atual Nova York, para a Inglaterra.
1864 – O arquiduque da Áustria, Maximiliano I, torna-se imperador do México.
1928 – Hirohito é coroado imperador do Japão.

11 de Novembro
1836 – O Chile declara guerra à Confederação formada pelo Peru e a Bolívia.
1918 – Assinado o Armistício de Compiegne, entre a Alemanha e os países aliados, pondo fim à Primeira Guerra Mundial.
1975 – Angola declara a sua independência de Portugal.

12 de Novembro
1936 – Inauguração da ponte Golden Gate, em São Francisco, nos Estados Unidos.
1948 – Condenado à morte, em Tóquio, por crimes de guerra cometidos durante a Segunda Guerra Mundial, o ex-primeiro ministro Hideki Tojo.
1982 – Após onze meses encarcerado, o líder sindicalista polonês Lech Walesa é libertado.

13 de Novembro
1460 – Morre na Vila do Infante, sem Sagres, Portugal, o infante dom Henrique, o Navegador, um dos maiores instigadores das grandes descobertas marítimas (fotografia, retrato do Infante).
1945 – O general Charles de Gaulle é nomeado presidente provisório da França.
1994 – Votado plebiscito na Suécia que decide a entrada do país na União Européia.

14 de Novembro
1501 – Realizado o casamento de Henrique VIII da Inglaterra, com Catarina de Aragão.
1900 – Landsteiner, um cientista austríaco, descobre a existência de tipos diferentes de sangue, classificando-os com A, B e C.
1940 – Bombardeios alemães destroem a cidade de Coventry, na Inglaterra.

15 de Novembro
1920 – Realizada pela primeira vez, em Genebra, na Suíça, a reunião da Assembléia da Liga das Nações.
1940 – O gueto de Varsóvia é fechado, com 350 mil judeus reclusos.
1987 – Os romenos saem às ruas para protestar contra a miséria do país no regime ditatorial comunista.

16 de Novembro
1532 – O conquistador espanhol Francisco Pizarro, derrota os incas, no Peru, aprisionando o imperador Atahualpa.
1918 – Dissolvido oficialmente o Império Austro-Húngaro, e a Hungria torna-se uma República.
1988 – Benazir Bhutto vence as eleições diretas no Paquistão, tornando-se a primeira mulher a governar um país islâmico.

17 de Novembro
1525 – Morre, em Portugal, a rainha dona Leonor, viúva do rei dom João II, fundadora das Misericórdias.
1558 – Sobe ao trono da Inglaterra a rainha Elizabeth I, última representante da dinastia Tudor.
1869 – Inaugurado oficialmente o canal de Suez, ligando o Mar Vermelho ao Mediterrâneo.

18 de Novembro
1095 – Iniciado o Concílio de Clermont, convocado pelo papa Urbano II, para debater o envio da primeira cruzada à Terra Santa.
1936 – A Itália e a Alemanha reconhecem o governo ditatorial espanhol do general Francisco Franco.
1978 – O líder espiritual Jim Jones induz 900 fiéis ao suicídio, na selva da Guiana.

19 de Novembro
1969 – Charles Conrad e Alan Bean, astronautas norte-americanos da missão Apollo 12, aterram na superfície da Lua.
1988 – Morre, aos 36 anos, Cristina Onassis, filha do armador e magnata grego Aristóteles Onassis.
1996 – O papa João Paulo II recebe no Vaticano, o presidente e líder revolucionário cubano, Fidel Castro.

20 de Novembro
1917 – A batalha de Cambai, travada entre a Inglaterra e a Alemanha em campos franceses, durante a Primeira Guerra Mundial, envolve, pela primeira vez, o uso de tanques blindados.
1959 – Publicada a declaração dos Direitos da Criança, pela Organização das Nações Unidas (ONU).
1975 – Morre o general Francisco Franco, ditador espanhol que governou a Espanha desde 1939, quando venceu a guerra civil.

21 de Novembro
1783 – Jean François Pilatre de Rozier e o marquês François Laurent d’Arlandes, realizam sobre Paris, o primeiro vôo num balão de ar quente (na fotografia, desenho do balão).
1913 – A justiça de São Petersburgo queima manuscritos do escritor Leon Tolstoi.
2000 – O Congresso do Peru destitui Alberto Fujimori do cargo de presidente do país.

22 de Novembro
1497 – Vasco da Gama navega pelo Cabo da Boa Esperança, na sua viagem a caminho da Índia.
1963 – Assassinado em Dallas, no Texas, o presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy.
1975 – Juan Carlos é proclamado rei da Espanha.

23 de Novembro
1775 – Aberto ao público o mercado da Praça da Figueira, ao lado do Rossio, em Lisboa.
1890 – O grão-ducado do Luxemburgo separa-se da Holanda.
1971 – A China é admitida como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

24 de Novembro
1642 – Abel Janzoon Tasman descobre a ilha que seria batizada com o seu nome, a Tasmânia.
1859 – O naturalista Charles Darwin publica “A Origem das Espécies”, defendendo que todas as criaturas vivas descendem de um antepassado comum.
1963 – Lee Harvey Oswald, acusado de ter assassinado o presidente Kennedy, é abatido por um tiro quando estava sendo transferido da prisão para a sala de interrogatório.

25 de Novembro
1991 – Morre, aos 45 anos, vítima da aids, Freddie Mercury, vocalista da banda britânica Queen.
1992 – O Parlamento da Tchecoslováquia aprova a separação do país em duas repúblicas distintas, a República Tcheca e a Eslováquia.
1998 – A Câmara dos Lordes da Grã-Bretanha anula a decisão que reconhecia a imunidade do ex-ditador chileno Augusto Pinochet.

26 de Novembro
1924 – Proclamada a República Popular da Mongólia.
1942 – Estréia do filme “Casablanca”, no Hollywood Theather de Nova York.
1993 – Primeira greve geral na Bélgica, em quase meio século.

27 de Novembro
1868 – O imperador do Japão muda sua residência de Kyoto para Yedo, que passaria a ser chamada de Tóquio.
1985 – Cruza no céu, pela segunda vez no século XX, o cometa Halley.
1992 – A Alemanha proíbe atividades neonazistas no país.

28 de Novembro
1520 – A frota de Fernão de Magalhães, vinda do Atlântico, atravessa o estreito que levaria o seu nome e chega ao Pacífico (na fotografia, Fernão de Magalhães em pintura de Tomasz Kostecki).
1905 – Fundado, em Dublin, o Sinn Fein, partido pela independência da Irlanda, por Arthur Griffith.
1919 – Lady Astor torna-se a primeira mulher a ser eleita para a Câmara dos Comuns, na Inglaterra.

29 de Novembro
1926 – Nomeado o general Oscar Carmona para presidente de Portugal.
1945 – A monarquia é abolida na Iugoslávia, proclamando-se a República Federal.
1947 – A Assembléia Geral da ONU decide dividir a Palestina em dois Estados, um judeu e um árabe.

30 de Novembro
1935 – Morre em Lisboa, o poeta português Fernando Pessoa.
1966 – O Barbados torna-se um país independente da Inglaterra.
1997 – Israel anuncia a retirada parcial dos territórios da Cisjordânia, ocupados por três décadas.

Novembros na História do Brasil

01 de Novembro
1501 – Descoberta por André Gonçalves, em viagem de exploração, a baía de Todos os Santos. A viagem contou com o auxílio do florentino Américo Vespúcio.
1549 – Fundada oficialmente, pelo governador-geral Tomé de Souza, a cidade de Salvador, na Bahia (foto, marco da fundação de Salvador).
1755 – Um grande terremoto assola Lisboa, destruindo grande parte da cidade e matando milhares de pessoas.

02 de Novembro
1685 – Enforcados Manuel Beckman e Jorge Sampaio, líderes da Revolta de Beckman, organizada por proprietários de terra contra o monopólio comercial português no Maranhão e os jesuítas, que se opunham à escravização dos índios.
1978 – Criado o Comitê Brasileiro pela Anistia, em São Paulo.

03 de Novembro
1615 – Os franceses, instalados no Maranhão, capitulam frente às tropas portuguesas.
1891 – Dissolvido o Congresso Nacional pelo presidente Deodoro da Fonseca. Foi inaugurado um estilo republicano que seria imitado na história do Brasil do século XX.

04 de Novembro
1786 – Publicada a carta régia de dona Maria I, ordenando a criação de um jardim botânico em Belém do Pará.
1896 – Primeira expedição militar enviada a Canudos é rechaçada pelos seguidores de Antonio Conselheiro.

05 de Novembro
1826 – Inaugurada solenemente a Academia Imperial de Belas-Artes, no Rio de Janeiro.
1849 – Nasce Rui Barbosa, em Salvador, Bahia.

06 de Novembro
1836 – Proclamada a República de Piratini no Rio Grande do Sul, Bento Gonçalves da Silva é eleito presidente.
1964 – Morre Anita Malfatti, pintora do movimento modernista, em São Paulo.

07 de Novembro
1837 – Inicia-se em Salvador a Sabinada, revolta contra as péssimas condições econômicas e o centralismo do Império.
1848 – Em Olinda começa a Revolução Praieira.

08 de Novembro
1767 – Maria Dorotéia Joaquina de Seixas, futura Marília de Dirceu, musa do poeta e inconfidente Tomás Antonio Gonzaga, é batizada.
1799 – Enforcados em Salvador, quatro implicados na Conjuração dos Alfaiates, sedição que se inspirava na Revolução Francesa.

09 de Novembro
1709 – Criadas as capitanias de São Paulo e das Minas do Ouro.
1889 – Realiza-se na Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro, o último baile do Império, oferecido a oficiais da marinha chilena.
1904 – É preso um dos estudantes que protestava no Largo de São Francisco, junto à estátua de José Bonifácio, contra a lei que tornava a vacinação contra a varíola obrigatória, inicia-se um grande motim, começando a maior revolta urbana no Rio de Janeiro, dizendo não à vacina.

10 de Novembro
1555 – Esquadra comandada por Villegaignon chega à baia de Guanabara, no Rio de Janeiro, dando início à França Antártica.
1975 – O Brasil reconhece a independência de Angola, sendo o primeiro país a fazê-lo.

11 de Novembro
1823 – No episódio “Noite da Agonia”, a primeira Assembléia Constituinte do Brasil sustenta uma sessão permanente, confrontando-se com dom Pedro I e o Partido Português.
1930 – Estabelecido por decreto, governo provisório que chancelava Getúlio Vargas como presidente, após a Revolução de 30.

12 de Novembro
1746 – Joaquim José da Silva Xavier, mais tarde conhecido como o alferes Tiradentes, personagem principal da Conjuração Mineira em 1789, é batizado na fazenda do Pombal, em Minas Gerais.
1823 – Dom Pedro I dissolve a Constituinte e cria um conselho de dez pessoas para elaborar uma Carta que mantivesse seus poderes.

13 de Novembro
1711 – Após quase dois meses de pilhagens, o corsário francês Duguay-Trouin deixa o Rio de Janeiro.
1864 – O Paraguai declara guerra ao Brasil.

14 de Novembro
1921 – Morre no Castelo d’Eu, próximo a Paris, a princesa Isabel.
1975 – Governo Geisel cria o Programa Nacional do Álcool, em resposta à crise no abastecimento de petróleo que vinha desde 1973.

15 de Novembro
1889 – Deodoro da Fonseca lidera grupo de militares que invade o QG do Exército, no Rio de Janeiro, proclamando a República.
1895 – Fundado no Rio de Janeiro, o Clube de Regatas do Flamengo. Ocorreu na verdade dois dias depois, mas a ata de fundação registra este dia como o oficial.

16 de Novembro
1862 – Exumados os restos mortais de Estácio de Sá, fundador da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
1921 – É lançado A Menina do Narizinho Arrebitado (foto), de Monteiro Lobato, marco na literatura brasileira.

17 de Novembro
1903 –
A disputa entre Brasil e Bolívia por parte da Amazônia é encerrada pelo Tratado de Petrópolis. Por 2 milhões de libras esterlinas, a Bolívia entrega 190.00 Km2 de território, que forma o atual estado do Acre.
1959 – Morre o gênio da música erudita Heitor Villa-Lobos, no Rio de Janeiro.

18 de Novembro
1814 – Morre o escultor Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, em Vila Rica.
1930 – O Decreto nº 19.408 do governo Vargas, cria a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

19 de Novembro
1724 – Morre na Espanha Bartolomeu de Gusmão, criador da “Passarola”, tido como o primeiro inventor das Américas.
1967 – Morre no Rio de Janeiro, o escritor Guimarães Rosa, autor de clássicos como Grande Sertão: Veredas.

20 de Novembro
1530 – Carta Régia concede a Martim Afonso de Souza plenos poderes para colonizar o Brasil.
1971 – Desaba no Rio de Janeiro o viaduto Paulo de Frontin, matando 29 pessoas.

21 de Novembro
1962 – A Bossa Nova é apresentada aos americanos no Carneggie Hall, em Nova York, em um concerto histórico de Tom Jobim, João Gilberto e Carlos Lyra.
1986 – A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulga dados que revelam que o Brasil é o 4º país do mundo em caso de AIDS.

22 de Novembro
1910 – O marinheiro João Cândido, lidera a Revolta da Chibata, que eclode no “Almirante Negro”, na Baía de Guanabara. A revolta era contra os castigos físicos na Marinha.
1968 – Criado pelo regime militar, o Conselho Superior de Censura.

23 de Novembro
1891 – Pressionado por militares após dissolver o Congresso, Deodoro da Fonseca renuncia à presidência, passando o cargo para Floriano Peixoto.
1935 – Militares de baixa patente rebelam-se contra o governo Vargas no quartel do 21º Batalhão de Caçadores, em Natal.

24 de Novembro
1935 – Políticos do Partido Comunista do Nordeste e militares de Olinda e Recife iniciam a Intentona Comunista (na foto, rebeldes do 3º RI, a caminho do presídio de Ilha Grande, Rio de Janeiro).

25 de Novembro
1641 – Chega a São Luís a esquadra do vice-almirante Lichthardt, conhecido como “o terrível Lichthardt”. Começa o domínio holandês no Maranhão.
1695 – Rei dom Pedro II de Portugal, autoriza a remessa de cachaça do Brasil para Angola, a fim de facilitar o comércio de escravos e aumentar as rendas aduaneiras.

26 de Novembro
1807 – Decidida a transferência da corte portuguesa para o Brasil.
1930 – Criado o Ministério do Trabalho pelo governo de Getúlio Vargas.

27 de Novembro
1971 – Morre no Rio de Janeiro, Aparício Torelly, o célebre barão de Itararé, que inaugurou um novo estilo de humorismo no Brasil.
1983 – Realiza-se no vale do Anhangabaú, em São Paulo, o primeiro comício pelas eleições diretas em 20 anos de ditadura militar.

28 de Novembro
1678 – Sepultado na Holanda, Willem Piso, autor da Historia Naturalis Brasiliae, livro que apresentou ao mundo a fauna e a flora brasileiras.
1975 – Morre o escritor Érico Veríssimo, em Porto Alegre.

29 de Novembro
1807 – Parte de Lisboa a frota conduzindo a família real ao Brasil, acontecimento que mudaria os destinos da antiga colônia portuguesa.
1877 – A primeira estação telefônica do Brasil é inaugurada no Rio de Janeiro, alguns meses depois da primeira do mundo ter sido instalada nos EUA.

30 de Novembro
1807 – Um dia após a família real portuguesa partir para o Brasil, tropas francesas lideradas por Junot, general de Napoleão Bonaparte, entram em Lisboa (na imagem, “Batalha das Guerras Peninsulares”, de Joaquim Gregório da Silva Rato).
1847 – Nasce em Minas Gerais, o futuro presidente Afonso Pena, que governaria o Brasil entre 1906 e 1909.

Nascidos em Novembro

01 de Novembro
Gilberto Braga, novelista brasileiro
Jeocaz Lee-Meddi (foto), escritor brasileiro
Lázaro Ramos, ator brasileiro
Thiago Fragoso, ator brasileiro

02 de Novembro
Bibi Vogel, atriz e cantora brasileira
Burt Lancaster, ator norte-americano
Jorge de Sena, escritor português
Luchino Visconti, cineasta italiano
Maria Antonieta da Áustria, princesa austríaca que foi rainha da França
Marieta Severo, atriz brasileira
Stefanie Powers, atriz norte-americana

03 de Novembro
Charles Bronson, ator norte-americano
Dolph Lundgren, ator sueco
Hal Hartley, cineasta norte-americano
Herbert José de Sousa (Betinho), sociólogo e ativista dos direitos humanos brasileiro
Lulu, cantora e atriz escocesa

04 de Novembro
Art Carney, ator norte-americano
Cameron Mitchell, ator norte-americano
Luís Figo, jogador de futebol português
Martin Balsam, ator norte-americano
Matthew McConaughey, ator norte-americano
Roberto Bataglin, ator brasileiro

05 de Novembro
Art Garfunkel, cantor e ator norte-americano
Bryan Adams, cantor e compositor canadense
Elke Sommer, atriz alemã
Joel McCrea, ator norte-americano
Martins Pena, dramaturgo brasileiro
Roy Rogers, ator e cantor norte-americano
Rui Barbosa, político e jurista brasileiro
Sam Shepard, ator norte-americano
Tatum O’Neal, atriz norte-americana
Vivien Leigh (foto), atriz britânica nascida na Índia

06 de Novembro
Brad Davis, ator norte-americano
Ethan Hawke, ator norte-americano
Ray Conniff, músico norte-americano
Sally Field, atriz norte-americana
Sophia de Mello Breyner, escritora portuguesa

07 de Novembro
Albert Camus, escritor francês nascido na Argélia
Ary Barroso, compositor brasileiro
Cecília Meireles, poetisa brasileira
Leon Trotsky, revolucionário bolchevique ucraniano
Maria Alves, atriz brasileira
Marie Curie, cientista francesa nascida na Polônia

08 de Novembro
Alain Delon (foto), ator francês
Antonio Marcos, cantor, compositor e ator brasileiro
Bram Stoker, escritor irlandês
Herson Capri, ator brasileiro

09 de Novembro
Carl Sagan, astrônomo e cientista norte-americano
Fernando Meirelles, cineasta brasileiro
Hedy Lamarr (foto), atriz austríaca
Torquato Neto, poeta e letrista de música brasileiro

10 de Novembro
Álvaro Cunhal, político português
Ângelo Paes Leme, ator brasileiro
Claude Rains, ator inglês
Friedrich Schiller, escritor e filósofo alemão
Martinho Lutero, teólogo alemão
Myrian Rios, atriz brasileira
Richard Burton (foto), ator britânico
Roy Scheider, ator norte-americano

11 de Novembro
Bibi Andersson, atriz sueca
Demi Moore, atriz norte-americana
Fiódor Dostoievski, escritor russo
Leonardo DiCaprio, ator norte-americano
Robert Ryan, ator norte-americano

12 de Novembro
Auguste Rodin, escultor francês
Grace Kelly (foto), princesa de Mônaco e atriz norte-americana
João Nogueira, cantor e compositor brasileiro
Paulinho da Viola, cantor e compositor brasileiro
Reynaldo Gianecchini, ator brasileiro

13 de Novembro
Jean Seberg, atriz norte-americana
Luís Mello, ator brasileiro
Robert Louis Stevenson, escritor britânico
Whoopi Goldberg, atriz norte-americana

14 de Novembro
Charles de Gales, príncipe herdeiro britânico
Claude Monet, pintor francês
Cleyde Yáconis, atriz brasileira
Dick Farney, cantor e compositor brasileiro
Dick Powell, ator norte-americano
Fernando Torres, ator, diretor e produtor de teatro brasileiro
Glauce Graieb, atriz brasileira
Veronica Lake, atriz norte-americana

15 de Novembro
Ana Bustorff, atriz portuguesa
Ed Asner, ator norte-americano
Ilva Niño, atriz brasileira
Marcelo Faria, ator brasileiro
Petula Clark, cantora britânica
Vanja Orico, atriz e cantora brasileira

16 de Novembro
Burgess Meredith, ator norte-americano
José Lewgoy, ator brasileiro
José Saramago, escritor português
Ricardo Blat, ator brasileiro
William Bonner, jornalista e apresentador brasileiro

17 de Novembro
Danny DeVito, ator norte-americano
Lauren Hutton, modelo e atriz norte-americana
Martin Scorsese, cineasta norte-americano
Mary Elizabeth Mastrantonio, atriz e cantora norte-americana
Rachel de Queiroz, escritora brasileira
Rock Hudson (foto), ator norte-americano
Sophie Marceau, atriz francesa

18 de Novembro
Brenda Vaccaro, atriz norte-americana
Cláudia Jimenez, atriz brasileira
Cleide Blota, atriz brasileira

19 de Novembro
Calvin Klein, estilista norte-americano
Carmen Monegal, atriz brasileira nascida no Uruguai
Clifton Webb, ator norte-americano
Fábio Sabag, ator e diretor brasileiro
Francisco Milani, ator brasileiro
Gene Tierney (foto), atriz norte-americana
Indira Gandhi, política indiana
Jodie Foster, atriz norte-americana
Meg Ryan, atriz norte-americana

20 de Novembro
Bo Derek, atriz norte-americana
Cláudio Heinrich, ator brasileiro
Leonardo Medeiros, ator brasileiro
Luiz Fernando Guimarães, ator brasileiro
Robert Kennedy, político norte-americano
Sean Young, atriz norte-americana

21 de Novembro
Alcione, cantora brasileira
Björk, cantora islandesa
Fábio Jr, ator e cantor brasileiro
Goldie Hawn, atriz norte-americana
Irma Alvarez, atriz argentina
Juliet Mills, atriz britânica
Voltaire, escritor e filósofo francês

22 de Novembro
Arthur Hiller, cineasta canadense
Charles de Gaulle, estadista francês
Jamie Lee Curtis, atriz norte-americana
Mariel Hemingway, atriz norte-americana
Marlene, cantora e atriz brasileira
Robert Vaughn, ator norte-americano

23 de Novembro
Boris Karloff, ator britânico
Elizabeth Savalla, atriz brasileira
Vincent Cassel, ator francês

24 de Novembro
Cássia Linhares, atriz brasileira
Carlos Imperial, ator, compositor e cineasta brasileiro
Libertad Lamarque, atriz e cantora de tango argentina
Tolouse-Lautrec, pintor francês

25 de Novembro
Ana Paula Padrão, jornalista brasileira
Eça de Queiroz, escritor português
João XXIII, papa italiano
Ricardo Montalban, ator mexicano
Taís Araújo, atriz brasileira
Virgínia Cavendish, atriz brasileira
Zé Rodrix, cantor e compositor brasileiro

26 de Novembro
Deborah Secco, atriz brasileira
Eugene Ionesco, dramaturgo romeno
Mário Lago, ator e compositor brasileiro
Otello Zeloni, ator ítalo-brasileiro
Tina Turner, cantora norte-americana
Vanessa Lóes, atriz brasileira
Walter Lima Junior, cineasta brasileiro

27 de Novembro
Adonias Filho, escritor brasileiro
Afonso Arinos, jurista e político brasileiro
Bruce Lee, ator sino-americano
Jimi Hendrix, cantor, guitarrista e compositor norte-americano
Vera Fischer, atriz brasileira

28 de Novembro
Ed Harris, ator norte-americano
Marco Ricca, ator brasileiro
Regina Braga, atriz brasileira
Soraya Ravenle, atriz brasileira
Stefan Zweig, escritor austríaco

29 de Novembro
Bruno Garcia, ator brasileiro
Egas Moniz, médico português
Francisco Cuoco, ator brasileiro
Henriette Morineau, atriz francesa
Jacques Chirac, político francês

30 de Novembro
Angélica, apresentadora, atriz e cantora brasileira
Ben Stiller, ator norte-americano
David Mamet, dramaturgo, ensaísta e romancista norte-americano
Jonathan Swift, escritor irlandês
Mark Twain, ator norte-americano
Miúcha, cantora brasileira
Richard Crenna, ator norte-americano
Ridley Scott, cineasta britânico
Virginia Mayo, atriz norte-americana
Winston Churchill, estadista britânico

Datas Comemorativas

01 de Novembro – Dia de Todos os Santos
02 de Novembro – Dia de Finados
03 de Novembro – Dia do Cabeleireiro
03 de Novembro – Dia da Instituição do Direito e Voto da Mulher
04 de Novembro – Dia do Inventor
05 de Novembro – Dia da Ciência e Cultura
05 de Novembro – Dia do Cinema Brasileiro
05 de Novembro – Dia do Radioamador
05 de Novembro – Dia do Técnico Eletrônica
07 de Novembro – Dia do Radialista
08 de Novembro – Dia Mundial do Urbanismo
08 de Novembro – Dia do Radiologista
09 de Novembro – Dia do Hoteleiro
10 de Novembro – Dia do Trigo (foto)
11 de Novembro – Dia do Soldado Desconhecido
11 de Novembro – Dia de São Martinho (antigamente era considerado o começo do inverno na Europa)
12 de Novembro – Dia do Diretor de Escola
12 de Novembro – Dia do Supermercado
14 de Novembro – Dia Nacional da Alfabetização
15 de Novembro – Dia da Proclamação da República (Brasil)
16 de Novembro – Semana da Música
17 de Novembro – Dia da Criatividade
19 de Novembro – Dia da Bandeira Brasileira
20 de Novembro – Dia do Auditor Interno
20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra no Brasil
20 de Novembro – Dia da Revolução no México
21 de Novembro – Dia da Homeopatia
21 de Novembro – Dia das Saudações
22 de Novembro – Dia do Músico
23 de Novembro – Dia Internacional do Livro
25 de Novembro – Dia Nacional do Doador de Sangue
27 de Novembro – Dia do Técnico da Segurança do Trabalho
28 de Novembro – Dia Mundial de Ação de Graças

Veja também:

 JANEIRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/24/janeiro/

FEVEREIRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/28/fevereiro/

MARÇO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/02/marco/

ABRIL: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/20/abril/

MAIO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/05/02/maio/

JUNHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/06/01/junho/

JULHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/07/01/julho/

AGOSTO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/08/01/agosto/

SETEMBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/09/01/setembro/

OUTUBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/10/01/outubro/


OUTUBRO

outubro 1, 2008

 

Outubro é o segundo mês do outono no hemisfério boreal e da primavera no hemisfério austral. É o mês que encerra as vindimas (iniciadas em setembro) no hemisfério norte, começando a produção do vinho. No Brasil é o mês da colheita das jabuticabas, fruta típica do país.
Décimo mês do ano do Calendário Gregoriano, possui 31 dias. Outubro inicia no mesmo dia da semana que inicia Janeiro, com exceção para os anos bissextos. Tem o seu nome derivado do latim October (octo significa oito), no antigo Calendário Romano Outubro era o oitavo mês do ano, que se iniciava em Março. Com a reforma do Calendário Juliano, Janeiro passou a ser o primeiro mês do ano. Originalmente Outubro tinha 30 dias, com a transformação do mês de Sextilis em Agosto e este passar a ter 31 dias, Outubro e Dezembro mudaram a disposição que alternavam os dias dos meses, passando ambos a ter 31 dias.
Outubro inicia-se astrologicamente com o Sol no signo de Libra (Balança) e termina no signo de Escorpião. Astronomicamente, o Sol inicia-se na constelação de Virgem (Virgo) e termina na constelação de Libra (Balança).
Outubro entrou para a história como o mês da Revolução Bolchevique (1917) e como o mês da criação oficial da Organização das Nações Unidas (ONU), ocorrida em 24 de Outubro de 1945.

Outubros na História do Mundo

01 de Outubro
331 a.C. – Travada a Batalha de Gaugamela, com a vitória de Alexandre, o Grande, sobre Dario III da Pérsia (na foto, A Batalha de Gaugamela, pintado por Jan Brueghel, 1602).
1946 – Doze ex-líderes nazistas são condenados à morte pelo Tribunal de Nuremberg.
1962 – É fundada, em Londres, Inglaterra, a Anistia Internacional.

02 de Outubro
1910 – Acontece o primeiro acidente aéreo da história da aviação, entre dois aviões, em Milão, Itália.
1941 – Iniciada a primeira etapa da invasão alemã sobre Moscou, durante a Segunda Guerra Mundial.
1985 – Morre, nos Estados Unidos, o ator Rock Hudson, primeira personalidade pública no mundo a reconhecer ter o vírus da Aids.

03 de Outubro
1792 – Lançada a pedra fundamental na Casa Branca, em Washington.
1932 – O Iraque declara a sua independência da Grã-Bretanha.
1990 – A Alemanha é reunificada, adotando Berlim como capital.

04 de Outubro
1830 – A Bélgica torna-se independente da Holanda.
1910 – Uma revolução republicana em Portugal derruba o rei Manuel II, que é obrigado a fugir para a Inglaterra.
1957 – Lançado no espaço, pela União Soviética, o primeiro satélite artificial, o Sputnik 1.

05 de Outubro
1582 – O papa Gregório XIII faz reformas no calendário, substituindo o antigo, o calendário Juliano, por um que passará a chamar Gregoriano.
1908 – Fernando I declara a independência da Bulgária, que se separa do Império Otomano.
1910 – Proclamada a República em Portugal.

6 de Outubro
1927 – Estréia, no teatro Warner, em Nova York, o primeiro filme comercial sonoro, “O Cantor de Jazz”.
1973 – Deflagrada a Guerra do Yom Kippur, após um ataque do Egito e da Síria a Israel durante as comemorações do feriado do calendário judaico.
1981 – Assassinado, no Cairo, durante um desfile militar, o presidente egípcio Anwar Sadat.

07 de Outubro
1949 – Fundada a República Democrática Alemã (RDA), na zona ocupada pelo exército soviético durante a ocupação à Alemanha nazista.
1985 – Comando terrorista palestino seqüestra, no Mar Mediterrâneo, o transatlântico italiano Achille Lauro, com 454 pessoas a bordo.
2001 – Estados Unidos e Grã-Bretanha iniciam ataques ao Afeganistão, em represália aos atentados terroristas em 11 de setembro, que derrubaram as torres do World Trade Center, em Nova York (na foto, soldado confirmam a invasão).

08 de Outubro
1912 – Conflito nos Bálcãs gera uma guerra que confronta a Bulgária, a Grécia, o Montenegro e a Sérvia contra a Turquia.
1967 – Che Guevara é capturado e executado nas selvas bolivianas.
1998 – José Saramago vence o Prêmio Nobel de Literatura, sendo o primeiro escritor de língua portuguesa a ser laureado com este galardão.

09 de Outubro
1874 – Fundada em Genebra, Suíça, a União Postal Internacional.
1962 – Declaração de independência do Uganda.
1985 – Termina com um morto, o seqüestro do transatlântico Achille Lauro, por terroristas palestinos.

10 de Outubro
1911 – Revolucionários liderados por Sun Yat-Sen, começam a revolução que derrubaria a dinastia Manchu.
1944 – Crianças ciganas são exterminadas na câmara de gás em Birkenau, na Polônia.
1964 – Iniciados os Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão.

11 de Outubro
1928 – O dirigível Conde Zeppelin, levanta vôo, rumando pela primeira vez, da Alemanha aos Estados Unidos.
1962 – O papa João XXIII abre o Concílio Vaticano II, na basílica de São Pedro.
1963 – Morre a cantora francesa Edith Piaf.

12 de Outubro
1492 – Cristóvão Colombo aporta em uma das ilhas das Bahamas, descobrindo um novo continente, pensando ser a Índia.
1964 – Leonid Brejnev substitui Nikita Khrushchev como secretário-geral do Partido Comunista da União soviética (PCUS).
1971 – Realizada uma faustosa celebração em Persépolis, no Irã, governado pelo xá Reza Pahlavi, para a comemoração dos 2.500 do Império Persa.

13 de Outubro
54 a.C. – Cláudio, imperador romano, morre envenenado por sua mulher Agripina, mãe de Nero.
1884 – Determinada a linha imaginária do Meridiano de Greenwich como ponto de referência para a determinação dos fusos horários.
1952 – Inaugurada a sede definitiva da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

14 de Outubro
1923 – Implantado o calendário Gregoriano na União Soviética, substituindo o antigo calendário Juliano.
1964 – Martin Luther King é laureado com o Prêmio Nobel da Paz, por sua luta pelos direitos dos negros nos Estados Unidos.
1994 – O Gabão é atingindo por um surto epidemiológico causado pelo vírus ebola, morrendo 90% dos infectados nas primeiras horas (na foto, vítima do ebola sendo tratada).

15 de Outubro
1582 – França, Espanha, Portugal e Estados Italianos adotam o calendário Gregoriano.
1917 – Executada em Vincennes, próximo a Paris, Mata Hari, acusada de espionagem durante a Primeira Guerra Mundial.
1979 – Carlos H. Romero, presidente de El Salvador, é derrubado por uma junta militar.

16 de Outubro
1311 – Extinta em Portugal, a Ordem dos Cavaleiros do Templo, os Templários.
1769 – O Conde de Oeiras, Sebastião José de Carvalho e Melo, é feito marquês de Pombal.
1793 – No decurso da Revolução Francesa, a rainha Maria Antonieta é executada na guilhotina.

17 de Outubro
1849 – Morre o compositor polonês Fredéric Chopin.
1904 – Assinado um tratado de paz e amizade entre a Bolívia e o Chile.
1923 – Deflagrado um levantamento popular nas Filipinas contra o domínio dos norte-americanos nas ilhas.

18 de Outubro
1685 – O rei da França, Luís XIV, revoga o dito de Nantes, o que provoca a fuga dos protestantes franceses.
1931 – Morre, aos 84 anos, nos Estados Unidos, Thomas Edison, o inventor da lâmpada.
1991 – Reatadas as relações diplomáticas entre Israel e a União Soviética, rompidas desde 1967.

19 de Outubro
1469 – Casamento de Fernando de Aragão e Isabel de Castela, selando a unificação dos reinos espanhóis.
1994 – A explosão de uma bomba dentro de um ônibus, em Tel Aviv, Israel, mata 22 pessoas.
1999 – Ratificação da independência de Timor Leste da Indonésia.

20 de Outubro
1918 – Declarado o fim da Primeira Guerra Mundial, um dos conflitos mais sangrentos da história.
1935 – Fim da Longa Marcha, de mais de 9 mil quilômetros, realizada pelo exército do Partido Comunista Chinês.
1968 – Casamento do magnata grego Aristóteles Onassis, aos 68 anos, com Jacqueline Kennedy, de 39 anos, viúva do malogrado presidente John Kennedy.

21 de Outubro
1805 – Travada a Batalha de Trafalgar, em que a armada franco-espanhola é derrotada pela frota do almirante Nelson, da Inglaterra (na foto, The Battle of Trafalgar, de Clarkson Stanfield).
1963 – Começa o julgamento de Nelson Mandela, líder da luta negra contra o apartheid na África do Sul, preso numa manifestação.
1982 – Gabriel Garcia Márquez, escritor colombiano, é laureado com o Prêmio Nobel de Literatura.

22 de outubro
1383 – Morte do rei dom Fernando, de Portugal, dando origem a uma crise política pela sucessão, só resolvida com a subida ao trono de dom João, Mestre de Aviz.
1938 – Feita, nos Estados Unidos, a primeira cópia xerográfica.
1967 – Diversas manifestações de protestos contra a Guerra do Vietnã são realizadas nos Estados Unidos e no mundo.

23 de Outubro
1956 – Eclode uma revolta popular na Hungria, contra o regime comunista stalinista apoiado pela União Soviética e vigente no país.
1969 – O presidente Richard Nixon anuncia a retirada de tropas norte-americanas do Vietnã.
1998 – A queda da bolsa de valores de Hong Kong atinge todos os mercados financeiros do mundo.

24 de Outubro
1929 – Início do “crash” na Bolsa de Nova York leva o mundo à depressão e milhões de pessoas à falência e à miséria.
1945 – Fundação da Organização das Nações Unidas (ONU), formada por 51 países.
1999 – Fernando de La Rua é eleito presidente da Argentina.

25 de Outubro
1936 – Assinatura de um tratado de amizade entre a Itália fascista e a Alemanha nazista, que daria origem ao Eixo Roma-Berlim, durante a Segunda Guerra Mundial.
1951 – Morre exilada na França, dona Amélia de Orleans e Bragança, última rainha de Portugal, viúva do rei dom Carlos.
1983 – Tropas norte-americanas invadem a ilha de Granada.

26 de Outubro
1905 – Suécia e Noruega, unidas desde 1814, separam-se pacificamente.
1967 – Coroação oficial, após um adiamento de 26 anos, do xá do Irã, Reza Pahlavi.
1980 – Morre, exilado no Brasil, Marcelo Caetano, último presidente do Conselho do regime ditatorial de Portugal, instaurado em 1933 e findado em 1974.

27 de Outubro
1505 – Morre Ivan, o Grande, duque de Moscou e primeiro czar da Rússia.
1986 – Ato ecumênico, liderado pelo papa João Paulo II, reúne representantes das principais religiões do mundo, em Assis, Itália, para rezar pela paz mundial.
1994 – Após o término de uma guerra civil que durou 16 anos, com 600 mil mortos, Moçambique realiza as suas primeiras eleições gerais.

28 de Outubro
1886 – Inaugurada em Nova York, pelo presidente Grover Cleveland, a estátua da Liberdade (na foto, detalhe da estátua).
1918 – Criada a República da Tchecoslováquia, unificando três províncias do antigo Império Austro-Húngaro, a Boêmia, a Moravia e a Eslováquia.
1922 – Mussolini lidera a “Marcha Sobre Roma”, iniciada em Nápoles, dando origem ao regime fascista na Itália.

29 de Outubro
1923 – Fim do Império Otomano e fundação da República da Turquia.
1929 – Continua o colapso na bolsa de valores de Nova York, passando este dia para a história como a “Terça-feira Negra”.
1936 – Prisioneiros políticos portugueses são enviados, pela primeira vez, para a prisão do Tarrafal.

30 de Outubro
1500 – O rei dom Manuel I, de Portugal, depois de ficar viúvo de Isabel de Aragão, casa-se com a irmã da falecida, Maria de Aragão.
1905 – Lançado o Manifesto de Outubro, pelo czar da Rússia, Nicolau II, prometendo uma constituição representativa.
1995 – Plebiscito realizado no Canadá diz não à separação do Quebeque.

31 de Outubro
1517 – Martinho Lutero prega as suas 95 teses na porta do Palácio de Wittenberg, marcando o inicio da Reforma protestante na Alemanha.
1984 – Assassinada a tiros, no jardim da sua casa, a primeira-ministra indiana, Indira Gandhi.
1992 – O papa João Paulo II reconhece que a condenação de Galileu foi injusta.

Outubros na História do Brasil

01 de Outubro
1777 – Assinado entre a Espanha e Portugal o Tratado de Santo Ildefonso, que garante à Espanha a posse da Colônia do Sacramento e dos Sete Povos das Missões, na região do Prata (foto).
1821 – Cortes Constituintes de Portugal ordenam a volta do príncipe dom Pedro a Portugal.

02 de Outubro
1947 – Fundado o Museu de Arte de São Paulo (MASP), por Assis Chateaubriand.
1950 – Morre José Carlos de Brito e Cunha, no Rio de Janeiro, que era conhecido como o chargista J. Carlos.

03 de Outubro
1930 – Iniciado no Rio Grande do Sul, o movimento que derrubaria o presidente Washington Luís e levaria Getúlio Vargas ao poder por 15 anos, conhecido como Revolução de 1930 (foto).
1953 – A lei 2.004 cria a Petrobrás.

04 de Outubro
1838 – Encenada pela primeira vez no Teatro São Pedro, no Rio de Janeiro, a peça Juiz de Paz da Roça, de Martins Pena, primeira comédia brasileira de costumes.
1879 – Morre no Rio de Janeiro, o general Manuel Osório, figura de destaque na Guerra do Paraguai (1864-1870).

05 de Outubro
1897 – Cercados por 5 mil soldados legalistas, caem os últimos combatentes do arraial de Canudos, na Bahia. São eles: dois homens adultos, um idoso e uma criança.
1988 – Promulgada a 7ª Constituição brasileira, a 6ª do regime republicano.

06 de Outubro
1916 – Nasce em Rio Claro, São Paulo, Ulysses Guimarães, um dos políticos brasileiros mais atuantes do século XX.
1963 – Exército ocupa Recife para impedir manifestação de 30 mil trabalhadores rurais.

07 de Outubro
1905 – Morre na Itália, o pintor Pedro Américo, famoso pelo quadro Independência ou Morte!, de 1888.
1932 – Plínio Salgado cria a Ação Integralista Brasileira, agremiação política de inspiração no fascismo italiano.

08 de Outubro
1892 – Inaugurado o bonde elétrico, no Rio de Janeiro.
1907 – Encerrada em Haia, Holanda, a Conferência de Paz que reconheceu o Brasil como a 9ª potência do mundo.

09 de Outubro
1953 – Governo Vargas decide taxar bens de produção importados para favorecer a indústria brasileira.
1970 – Iniciada a construção da Rodovia Transamazônica.

10 de Outubro
1711 – O governador Francisco de Castro Morais assina a capitulação do Rio de Janeiro frente ao corsário francês Dunguay-Trouin, que havia tomado a cidade.
1911 – Iniciada no Rio de Janeiro, a demolição do Convento da Ajuda, construção do século XVIII.

11 de Outubro
1890 – Decreto nº 848 cria o Supremo Tribunal Federal.
1905 – Circula no Rio de Janeiro, pela primeira vez, a revista infantil O Tico-Tico (foto).

12 de Outubro
1798 – Nasce no Palácio da Ajuda, em Portugal, o príncipe Pedro de Alcântara de Bragança e Bourbon, futuro dom Pedro IV de Portugal e I do Brasil.
1822 – Dom Pedro I é aclamado imperador do Brasil.

13 de Outubro
1823 – Circula em Ouro Preto, o Compilador Mineiro, primeiro periódico de Minas Gerais.
1968 – Morre o poeta Manuel Bandeira.

14 de Outubro
1835 – Inaugurado o transporte de barcas ligando o Rio de Janeiro a Niterói.
1968 – São presos em Ibiúna, os participantes do congresso da UNE.

15 de Outubro
1864 – Casamento da princesa Isabel, herdeira do trono do Brasil, com o conde d’Eu.
1957 – Quatrocentos mil trabalhadores em greve durante 11 dias em São Paulo, conquistam reajuste salarial de 25%.

16 de Outubro
1609 – Para aumentar a população branca do Brasil, Filipe II de Portugal (III da Espanha) proíbe a fundação de conventos no Brasil.
1873 – Dom Vital de Oliveira, bispo de Olinda, é denunciado pelo solicitador-geral da Coroa por ter imposto restrições religiosas a membros da Maçonaria.

17 de Outubro
1710 – Iniciado em Pernambuco, o conflito entre os senhores donos dos engenhos açucareiros de Olinda e os comerciantes de Recife, que ficaria conhecido como a Guerra dos Mascates.
1711 – Eclode em Salvador, a Revolta do Maneta, contra o aumento dos impostos.

18 de Outubro
1739 – Condenado pela Inquisição, é executado em Lisboa, Antônio José da Silva, “o Judeu”, dramaturgo nascido no Rio de Janeiro.
1825 – Tratado assinado no Rio de Janeiro entre Brasil e Inglaterra reconheceu a independência brasileira.

19 de Outubro
1901 – Santos Dumont, com o seu dirigível nº 6, contorna a Torre Eiffel (foto).
1913 – Nasce no Rio de Janeiro, Vinícius de Moraes, “o poetinha”, autor em parceria com Tom Jobim, do grande clássico da MPB, Garota de Ipanema.

20 de Outubro
1947 – O Brasil alia-se aos Estados Unidos e rompe relações com a União Soviética.
1991 – Ayrton Senna conquista no Japão, pela terceira vez, o campeonato mundial de Fórmula 1.

21 de Outubro
1838 – Instalado no Rio de Janeiro, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.
1889 – Morre em Petrópolis, Irineu Evangelista de Sousa, o visconde de Mauá, um dos responsáveis pela modernização do Brasil no século XIX.

22 de Outubro
1807 – Assinado em Londres um acordo secreto que prevê a transferência da sede do governo português para o Rio de Janeiro.
1823 – Presas no porão do brigue Palhaço, 252 lideranças de uma rebelião no Pará contra o governo provincial são mortas com cal, em episódio conhecido como “Massacre do Palhaço”.

23 de Outubro
1853 – Nasce em Maranguape, Ceará, Capistrano de Abreu, autor de um clássico da historiografia brasileira, Capítulos de História Colonial, de 1907.
1891 – Vetado pelo presidente Deodoro da Fonseca (foto) o projeto da Lei de Responsabilidades, que reduzia as atribuições do presidente.
1906 – Santos Dumont realiza o primeiro vôo em aeroplano, pilotando o 14 Bis.

24 de Outubro
1943 – Manifesto dos Mineiros, assinado por políticos e intelectuais, exige o fim da ditadura de Getúlio Vargas.
1975 – O jornalista Vladimir Herzog é procurado por militares, antes de ser assassinado nas dependências do exército.

25 de Outubro
1917 – O presidente Venceslau Brás comunica ao Congresso o afundamento na Espanha, pela marinha alemã, do navio brasileiro Macau.
1969 – O Congresso, controlado pelos militares, elege o general Emílio Garrastazu Médici presidente da República.

26 de Outubro
1917 – O Brasil declara guerra à Alemanha.
1976 – Presidente Geisel admite a existência de tortura no Brasil.

27 de Outubro
1645 – Carta patente declara que todo príncipe herdeiro do trono português receberá o título de “príncipe do Brasil”.
1733 – Dom João V, rei de Portugal, proíbe a abertura de novas rotas para as minas do interior do Brasil.

28 de Outubro
1924 – Luiz Carlos Prestes comanda levante tenentista no Rio Grande do Sul.
1937 – A escritora Rachel de Queiroz é presa pela polícia política de Getúlio Vargas, acusada de subversão.

29 de Outubro
1810 – Fundação da Real Biblioteca, atual Biblioteca Nacional.
1945 – Movimento militar depõe Getúlio Vargas, no poder desde 1930.

30 de Outubro
1964 – Presidente Castelo Branco nega, em entrevista, denúncias de tortura.
1969 – Emilio Garrastazu Médici, general do exército, toma posse com presidente do Brasil, após ser eleito pelo Congresso.

31 de Outubro
1860 – Morre em Londres, lord Cochrane, organizador da marinha imperial na época da independência.
1902 – Nasce em Itabira, Minas Gerais, o poeta Carlos Drummond de Andrade.
1904 – Aprovada no Congresso lei que tornava obrigatória a vacina antivariólica no Brasil.

Nascidos em Outubro

01 de Outubro
George Peppard, ator norte-americano
Jimmy Carter, ex-presidente norte-americano
Julie Andrews, atriz britânica
Laurence Harvey (foto), ator norte-americano nascido na Lituânia
Richard Harris, ator irlandês
Stella Stevens, atriz norte-americana
Walter Matthau, ator norte-americano

02 de Outubro
Don McLean, cantor e compositor norte-americano
Groucho Marx, ator comediante norte-americano
Mahatma Gandhi, idealista indiano
Norma Blum, atriz brasileira
Sting, músico e cantor britânico

03 de Outubro
Adriana Calcanhoto, cantora e compositora brasileira
Clive Owen, ator britânico
Gore Vidal, escritor norte-americano
José Mayer, ator brasileiro
Márcia de Windsor, atriz brasileira
Orlando Silva, cantor brasileiro
Zé Ramalho, cantor e compositor brasileiro

04 de Outubro
Armand Assante, ator norte-americano
Assis Chateaubriand, jornalista e empreendedor brasileiro
Buster Keaton, ator norte-americano
Charlton Heston, ator norte-americano
Lúcia Alves, atriz brasileira
Prudente de Morais, ex-presidente do Brasil
Susan Sarandon, atriz norte-americana

05 de Outubro
Denis Diderot, filósofo e escritor francês
Iran Malfitano, ator brasileiro
João Lagarto, ator português
Kate Winslet, atriz britânica
Tarcísio Meira, ator brasileiro

06 de Outubro
Altemar Dutra, cantor brasileiro
Britt Ekland, atriz sueca
Carole Lombard (foto), atriz norte-americana
Elisabeth Shue, atriz norte-americana
Renato Corte Real, ator e humorista brasileiro
Roland Garros, tenista e aviador francês
Samara Felippo, atriz brasileira
Ulysses Guimarães, político brasileiro
Zé Kety, músico, cantor e compositor brasileiro

07 de Outubro
Desmond Tutu, bispo e político sul-africano
Heinrich Himmler, nazista alemão
June Allyson (foto), atriz norte-americana
Kalju Lepik, poeta estoniano
Nádia Maria, atriz e comediante brasileira
Vladimir Putin, político russo

08 de Outubro
Chevy Chase, ator norte-americano
Cristina Mullins, atriz brasileira
José do Patrocínio, jornalista, escritor e político brasileiro
Juan Perón, político argentino
Matt Damon, ator norte-americano
Sigourney Weaver, atriz norte-americana

09 de Outubro
Jacques Tati, ator e diretor francês
John Lennon, cantor e compositor britânico
Maria Cláudia, atriz brasileira
Mário de Andrade, poeta e romancista brasileiro
Taiguara, cantor brasileiro nascido no Uruguai

10 de Outubro
Giuseppe Verdi, compositor de óperas italiano
Helen Hayes, atriz norte-americana
Jacqueline Laurence, atriz brasileira nascida na França
Miguel Falabella, ator, dramaturgo e diretor brasileiro

11 de Outubro
Cartola, cantor e compositor brasileiro
François Mauriac, escritor francês
Joan Cusack, atriz norte-americana
Tom Zé, cantor e compositor brasileiro

12 de Outubro
Cláudia Abreu, atriz brasileira
Fernando Sabino, escritor brasileiro
Fúlvio Stefanini, ator brasileiro
Luciano Pavarotti, cantor lírico italiano
Pedro I do Brasil e IV de Portugal, rei e imperador luso-brasileiro

13 de Outubro
Cornel Wilde, ator norte-americano
Fagner, cantor e compositor brasileiro
Margaret Thatcher, política britânica
Nana Mouskouri, cantora grega
Paul Simon, cantor e compositor norte-americano
Yves Montand (foto), ator e cantor franco-italiano

14 de Outubro
Carla Camurati, atriz brasileira
E. E. Cummings, poeta, dramaturgo e pintor norte-americano
Lílian Gish, atriz norte-americana
Roger Moore, ator britânico

15 de Outubro
Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa
Denise Fraga, atriz brasileira
Flávio Migliaccio, ator brasileiro
Friedrich Nietzsch, filósofo alemão
Giuseppe Oristanio, ator brasileiro
John Kenneth Galbraith, economista norte-americano
Manuel da Fonseca, escritor português
Mario Puzo, escritor norte-americano

16 de Outubro
Angela Lansbury, atriz britânica
Carlos Casagrande, ator e modelo brasileiro
Eugene O’Neill, dramaturgo norte-americano
Fernanda Montenegro, atriz brasileira
Leila Pinheiro, cantora brasileira
Oscar Wilde, escritor irlandês
Suely Franco, atriz brasileira
Tim Robbins, ator norte-americano

17 de Outubro
Arthur Miller, dramaturgo norte-americano
Chiquinha Gonzaga, compositora brasileira
João Paulo I, papa italiano
Montgomery Clift (foto), ator norte-americano
Nuno Leal Maia, ator brasileiro
Rita Hayworth (foto), atriz norte-americana

18 de Outubro
George C. Scott, ator norte-americano
Grande Otelo, ator brasileiro
Jean-Claude Van Damme, ator belga
Klaus Kinski, ator alemão
Melina Mercouri, atriz grega

19 de Outubro
Dias Gomes, dramaturgo e novelista brasileiro
Elza Gomes, atriz brasileira nascida em Portugal
Glória Menezes, atriz brasileira
Paulo César Pereio, ator brasileiro
Raul Solnado, ator português
Rubens de Falco, ator brasileiro
Vinícius de Moraes, poeta, compositor e cantor brasileiro

20 de Outubro
Arthur Rimbaud, poeta francês
Bela Lugosi, ator norte-americano nascido na Romênia
Eliane Giardini, atriz brasileira
Maria Zilda, atriz brasileira
Rodrigo Faro, ator brasileiro

21 de Outubro
Alfred Nobel, químico e inventor sueco
Benjamin Netanyahu, político israelense
Dóris Monteiro, cantora brasileira
Lílian Witte Fibbe, jornalista brasileira
Marisa Orth, atriz brasileira
Walter Hugo Khouri, cineasta brasileiro

22 de Outubro
Catherine Deneuve (foto), atriz francesa
Franz Liszt, músico compositor teuto-húngaro
Jeff Goldblum, ator norte-americano
Joan Fontaine, atriz norte-americana nascida no Japão
Juca Chaves, músico e humorista brasileiro
Rolando Boldrin, ator, cantor e apresentador brasileiro
Sarah Bernhardt, atriz francesa

23 de Outubro
Ang Lee, cineasta chinês (Taiwan)
Bianca Byington, atriz brasileira
Pelé, jogador de futebol brasileiro

24 de Outubro
F. Murray Abraham, ator norte-americano
Kevin Kline, ator norte-americano
Odilon Wagner, ator brasileiro
Rosamaria Murtinho, atriz brasileira
Ziraldo, cartunista, escritor e desenhista brasileiro

25 de Outubro
Georges Bizet, compositor francês
Johann Strauss Filho, compositor austríaco
Pablo Picasso, pintor espanhol
Roberto Menescal, músico brasileiro

26 de Outubro
Belchior, cantor e compositor brasileiro
Bob Hoskins, ator britânico
Darcy Ribeiro, antropólogo, escritor e economista brasileiro
François Mitterrand, político francês
Hilary Clinton, política norte-americana
Jaclyn Smith, atriz norte-americana
Milton Nascimento, cantor e compositor brasileiro
Nélia Paula, atriz e vedete brasileira

27 de Outubro
Bruce Lee, ator sino-americano
Dylan Thomas, poeta britânico
Erasmo de Rotterdam, filósofo holandês
Graciliano Ramos, escritor brasileiro
Jean-Pierre Cassel, ator francês
John Cleese, ator britânico
Luís Inácio Lula da Silva, político brasileiro
Mauricio de Sousa, cartunista brasileiro
Roberto Benigni, ator e diretor italiano
Roy Lichtenstein, pintor norte-americano
Theodore Roosevelt, político norte-americano

28 de Outubro
Bill Gates, empresário norte-americano
Dina Sfat, atriz brasileira
Diogo Vilela, ator brasileiro
Eros Ramazotti, cantor italiano
Francis Bacon, pintor irlandês
Garrincha, jogador de futebol
Heloísa Helena, atriz brasileira
Joaquin Phoenix, ator norte-americano nascido em Porto Rico
Julia Roberts, atriz norte-americana
Myriam Muniz, atriz brasileira
Nelson Cavaquinho, músico brasileiro
Rogério Samora, ator português
Ronaldo Bôscoli, compositor, músico e jornalista brasileiro
Zélia Duncan, cantora brasileira

29 de Outubro
Geraldo Del Rey, ator brasileiro
Kate Jackson, atriz norte-americana
Lídia Brondi, atriz brasileira
Nelson Motta, compositor e jornalista brasileiro
Richard Dreyfuss, ator norte-americano
Winona Ryder, atriz norte-americana

30 de Outubro
Ezra Pound, poeta e músico norte-americano
Diego Maradona, jogador de futebol argentino
Gael Garcia Bernal (foto), ator mexicano
Harry Hamlin, ator norte-americano
Louis Malle, cineasta francês
Paul Valéry, poeta francês
Ruth Gordon, atriz norte-americana

31 de Outubro
Barbara Bel Geddes, atriz norte-americana
Bud Spencer, ator italiano
Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro
Claudette Soares, cantora brasileira
John Keats, poeta britânico
Michael Landon, ator norte-americano
Raphael Rabello, músico e violenista brasileiro
Stephen Rea, ator irlandês
Walderez de Barros, atriz brasileira

Datas Comemorativas

01 de Outubro – Dia Internacional da Terceira Idade
01 de Outubro – Dia do Vendedor
01 de Outubro – Dia Nacional do Vereador
03 de Outubro – Dia Mundial do Dentista
03 de Outubro – Dia do Petróleo Brasileiro
03 de Outubro – Dia das Abelhas
04 de Outubro – Dia da Natureza
04 de Outubro – Dia do Barman
04 de Outubro – Dia do Cão
04 de Outubro – Dia do Poeta
04 de Outubro – Dia de São Francisco de Assis
05 de Outubro – Dia das Aves
05 de Outubro – Dia da Proclamação da República Portuguesa
05 de Outubro – Dia Mundial dos Animais
07 de Outubro – Dia do Compositor
08 de Outubro – Dia do Nordestino
09 de Outubro – Dia do Açougueiro e Profissionais do Setor
10 de Outubro – Semana da Ciência e Tecnologia
10 de Outubro – Dia Mundial do Lions Clube
11 de Outubro – Dia do Deficiente Físico
11 de Outubro – Dia do Teatro Municipal
12 de Outubro – Dia de Nossa Senhora Aparecida
12 de Outubro – Dia da Criança
12 de Outubro – Dia do Atletismo
12 de Outubro – Dia do Engenheiro Agrônomo
12 de Outubro – Dia do Mar
12 de Outubro – Dia do Descobrimento da América
12 de Outubro – Dia do Corretor de Seguros
13 de Outubro – Dia do Terapeuta Ocupacional
13 de Outubro – Dia do Fisioterapeuta
14 de Outubro – Dia Nacional da Pecuária
15 de Outubro – Dia do Normalista
15 de Outubro – Dia do Professor
16 de Outubro – Dia Mundial da Alimentação
16 de Outubro – Dia da Ciência e Tecnologia
16 de Outubro – Dia do Anestesiologista
17 de Outubro – Dia da Indústria Aeronáutica Brasileira
17 de Outubro – Dia do Eletricista
18 de Outubro – Dia do Médico
18 de Outubro – Dia do Estivador
18 de Outubro – Dia do Securitário
18 de Outubro – Dia do Pintor
19 de Outubro – Dia do Profissional da Informática
20 de Outubro – Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo
20 de Outubro – Dia do Arquivista
21 de Outubro – Dia do Contato
22 de Outubro – Dia do Contador
23 de Outubro – Dia da Aviação e do Aviador
24 de Outubro – Dia das Nações Unidas – ONU
25 de Outubro – Dia da Democracia
25 de Outubro – Dia do Dentista Brasileiro
25 de Outubro – Dia do Sapateiro
28 de Outubro – Dia de São Judas Tadeu
28 de Outubro – Dia do Funcionário Público
29 de Outubro – Dia Nacional do Livro
30 de Outubro – Dia do Balconista
30 de Outubro – Dia do Comerciário
30 de Outubro – Dia do Fisiculturista
31 de Outubro – Dia Mundial do Comissário de Vôo
31 de Outubro – Dia das Bruxas (Halloween)

Veja também:

 

JANEIROhttps://jeocaz.wordpress.com/2008/03/24/janeiro/

FEVEREIRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/03/28/fevereiro/

MARÇO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/02/marco/

ABRIL: https://jeocaz.wordpress.com/2008/04/20/abril/

MAIO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/05/02/maio/

JUNHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/06/01/junho/

JULHO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/07/01/julho/

AGOSTO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/08/01/agosto/ 

SETEMBRO: https://jeocaz.wordpress.com/2008/09/01/setembro/